O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

quinta-feira, 24 de março de 2011

Sedução


Se me ensinasses
A nascente das palavras
Retirava os pedregulhos
Que atrapalham as ideias
Confundem a melodia
O sentimento, o ritmo
E a alma da poesia

Se me ensinasses
A nascente das palavras
Deixava-as deslizar
Transparentes, cristalinas
E até saberia falar
Da imensa ternura
Que esbanja o teu olhar

O meu poema nasceria
Ao raiar da alvorada
Para apanhar toda a energia
Dum radioso amanhecer
E até coragem teria
Para o levar ao sarau
De gritos verticais

E, assim, entre os demais,
Mesmo descalça e mal vestida
Acredito que te seduziria

Teresa Almeida 23.03.11

3 comentários:

  1. Tão lindo quanto a paisagem.
    Se me ensinasses o caminho para esse paraíso no céu da boca eu de lá traria, poemas carregados de ar puro.

    >Beisos, rapaza.

    ResponderEliminar
  2. É mesmo sedutora esta paisagem duriense em Candedo - Freixo de Espada à Cinta. Alí a tua caneta de escritora desatava a escrever sem parar...
    Un cuore per te´.

    ResponderEliminar
  3. Ma che belíssimo, Teresa, anche io no lo visto, il cuore...
    Un bachio, amica mia del cuore.

    Chi vediamo a la próssima settimana.

    Ciao

    ResponderEliminar