O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

quarta-feira, 13 de julho de 2011

A luz do teu poema


Dá vontade de existir no teu poema
viver nele a minha história
é tão intensa e bela
que só a fantasia cabe nela
Entrar no teu poema
é tão fácil afinal
deixaste a porta aberta
a quem se queira deleitar
fazer da alma coração
e viver a plenitude diáfana
da mais intensa ilusão
Viajo devagar , a gosto
no teu extenso poema
e na estação de saída
fico tão surpreendida
que saio murcha, com pena
A felicidade que se apanha
em breves momentos reais
no olhar deixa o riso
e na luz do teu poema
são momentos imortais

Teresa Almeida 11.07.11

4 comentários:

  1. Existir em e num poema, é suprema felicidade!
    Há que "encontrá-lo" depressa e "aprisioná-lo"...
    Gostei, minha amiga :)
    Bjuzz

    ResponderEliminar
  2. "Dá vontade de existir no teu poema,viver nele.
    a minha história é tão intensa e bela
    que só a fantasia cabe nela"
    Como eu gostava de entrar nessa fantasia feita poema... ( "na luz do teu poema sao momentos imortais")
    Adorei Teresa.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Partilhamos este desejo, esta sensibilidade.
    Maravilhoso Odete!
    Um xi coração

    ResponderEliminar
  4. Também as tuas palavras são de luz e fantasia!
    Obrigada Ricardo.
    Um xi coração.

    ResponderEliminar