O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Apanhados

Escreve-se um poema

ao primeiro olhar

Um doce voo de iniciados

em passos de dança

sedutores

Perfumes subtis

de banhos saboreados

em pétalas de poesia febril

De Maio, aromas no ar

As palavras

em cachoeiras de felicidade

A pele

em ânsias de se tocar

Apanhados

ao primeiro olhar

Música a jeito, adorada

os passos em ritmo

ajustados

Em cuba livre

submergidos os sentidos

Partilham-se emoções

em grupos de amigos

Poemas noite dentro

são tocados

em cordas de afeto

afinados



Teresa Almeida 14-02-2011

.

4 comentários:

  1. Doce e melodioso...
    Bjuzz, querida amiga :)

    ResponderEliminar
  2. Este poema por o seu ritmo poderia ser musicalizado..daria uma bonita cançao..talvez um bolero¿!!!Seria uma partilha incrivel..beijo de boa noite

    ResponderEliminar
  3. Fico contente por teres sentido melodia nas minhas palavras. Respirei fundo...:)

    Bjuzz querida amiga

    ResponderEliminar
  4. Inês querida,

    Tocaram-me as tuas palavras.
    É que "APANHADOS" nada teve de ficção...
    De todos, escolheste este poema para um bolero ...
    Que sintonia amiga!

    ResponderEliminar