O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

domingo, 7 de agosto de 2011

MUSICALIDADE


Escrevo com estranha leveza
como quem quer dedilhar
a música das palavras
e soltar emoções desatinadas

Nos passos do dia a dia
flutuo na musicalidade
e apanho leve a melodia

Os sons evoluem em cores

As palavras rodopiam
na roda dos sentidos
arrastam-se pela noite
em acordes de orquestra
arrebatadores

gemem em sons de violino
mágoas de anoitecer
que de mim se escapam

Na música das palavras
pressinto a luz a nascer


Teresa Almeida 06-07-2011

4 comentários:

  1. Quandos os dedos correm no teclado ..fazem musica..essa mesma que faz que o cerebro sinta os toques divinos da melodia,melodia que linda que tao bem descreves!!muy bello mi amiga!!um beijo

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Inês.
    Gosto de te encontrar na melodia das palavras.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  3. As palavras são musicalidade por excelência; têm ritmo, tem significante e o significado que lhe está associado e o que lhe associamos quando escrevemos. Só podem ser leves; nós é que estamos, frequentemente, pesados...
    Lá diz Kundera. a insustentável leveza do ser...
    Lindo, Teresa.
    Bjuzz :)

    ResponderEliminar
  4. Obrigada Odete.
    Procuremos sentir essa insustentável leveza...
    Bjuzz:)

    ResponderEliminar