O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

UMA TOCHA ACESA NA NOITE




Uma tocha acesa na noite
parecia dizer: entra amigo
Tinhas um dia cheio, eu sei
mas estás habituado a rasgar caminhos
e não hesitaste
num espaço de amizade entraste

entraste e nos olhos trazias
a força e a luz que eu precisava
porque sem ti amigo
uma tocha acesa na noite
não faria sentido

Senti que um dia bravo e agitado
no planalto, para mim nasceu
e ventos ciclónicos escureciam o céu
Mas nasciam rios de sorrisos
que desaguavam em mares de ondas bravas
num agreste nordeste, em abraços se espraiavam
calmas e seguras as palavras

Poesias e telas fizeram-se verdade
num encontro breve
de gente inteira que se sabe dar
como rosas em verão quente
em terra inóspita e gelada
que o amor escolheu
para nela se fazer luz e mar

Teresa Almeida 16-12-2011 

4 comentários:

  1. Amiga: já deixei comentário na waf...
    Reitero foto e poema lindísimos!
    Vê o meu post:

    http://portate-mal.blogspot.com/2011/12/evento-lancamento-da-obra-ousadia-de.html

    Bjos :)

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Odete.
    É sempre bom receber a visita de alguém que gosta de partilhar ideias e carinho.
    "... fica sempre um pouquinho de perfume nas mãos que oferecem rosas."
    Bjuzz

    ResponderEliminar
  3. Lindo este poema...
    " Poesias e telas fizeram-se verdade... "que o amor escolheu para nela se fazer luz e mar".
    Parabéns, amiga Teresa!
    Beijo
    Isa

    ResponderEliminar
  4. Obrigada amiga Isabel.Bem-vinda ao meu cantinho.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar