O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

quarta-feira, 25 de abril de 2012


Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo


        Sophia de Mello Breyner Andresen

4 comentários:

  1. Nunca ninguém de juízo esquecerá este dia..e á tão pouco juízo estes dias..bj querida amiga.

    ResponderEliminar
  2. Quim, "é o dia inicial, inteiro e limpo" que habitará em nós!
    Beijinhos querido amigo.

    ResponderEliminar
  3. 25 de Abril sempre, no que concerne à semântica da palavra LIBERDADE...
    Contudo, muitas das ações adjacentes à revolução continuam por cumprir e outras estão agravadas.
    Bjuzz, amiga

    ResponderEliminar
  4. Querida amiga,

    Esta poesia cristalina de Sofia sempre me acompanhou!
    Que um cravo vermelho seja sempre um sinal de liberdade!
    Compete-nos encontrar a maneira de lhe avivar a cor.
    Bjuzz

    ResponderEliminar