O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Cheiras bem

Trazes no corpo o espírito de um amor maduro


nos lábios o sabor de frutos silvestres.


É excitante o aroma que de ti me vem.


Trazes o esplendor de manhãs geadas


e o fogo de tardes de Agosto.


Cheiras bem.




Emerges em trovoadas de melodia


és sonho vermelho esmagado


palavra mordida ao acaso


espirito apurado nas encostas da vinha.


És a carícia de meia ladeira


que sobe alto, perturba e incendeia.




És o néctar puro da terra


o sol infiltrado no poema


bago cheio, duro e comprido


és o festival dos sentidos


vinho erotizado na parreira


a derramar-se em lábios intumescidos




Trazes as nuances subtis de cada folha


pintada em cada dia - com mestria


O pincel é férreo e a tinta de suor


num outono barroco, corado.


És um namoro de vertigem


beijo divino, apurado na cor.



Teresa Almeida

8 comentários:

  1. "[...]És um namoro de vertigem
    beijo divino, apurado na cor."
    Que palavras mais para definir esse Vinho e essa Uva?
    Imagem magnífica e a completar.


    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  2. "Trazes o esplendor de manhãs geadas

    e o fogo de tardes de agosto."

    Sempre me encantam as tuas belas construções poéticas,a tua

    poesia tem sempre inspiração(e inspiradora),música,natureza

    e a paixão e o amor em harmonia-dança-vida...

    Esse teu espaço poético é muito especial!!!

    Ps:Adoro te visitar e receber a tua visita,as tuas palavras

    tocam profundamente meu coração(minha alma).Grata querida

    amiga!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Este teu poema é digno de figurar nas boas caves.
    Estou a pensar nas de Vinho do Porto, por exemplo.
    Ou num catálogo de vinhos...
    Se eu fosse produtor, talvez o colocasse nas embalagens...
    Resumindo, é excelente. Que me lembre, nunca li nada tão bom sobre o tema.
    Teresa, tem uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Magnifico D.O.C. Rico em aromas,à vista e ao palato.
    De degustação perfeita, possui característica originais para potencial candidato a medalhado.
    Fiquei com água na boca! Parabéns.

    ResponderEliminar
  5. Talvez, um vinho apaixonado...

    (O poema, levou-me para a paixão)

    gostei muito, adorei!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Original homenagem. Sedutora degustação da Mãe Natureza!

    (Não é por acaso que as palavras se soltam fluidas numa boa mesa, incluindo, obviamente, a carta de vinhos adequada...)

    Bjuzz, Teresa :)

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. Vinho casta, encrostado sabor, esta poesia que em ti vive, de odor leve, adocicado amor... Que o espírito eleva!

    ResponderEliminar