O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Poema incompleto

Não sei se entre nós
nasceu primeiro o beijo ou a palavra
há palavras com instinto de labareda
se não forem mordidas
provocam  incêndios
Não sei qual foi o primeiro registo dos nossos lábios
beijos e palavras espalharam-se em nós
naturalmente
beijos e palavras mantêm-se acesos
num intenso assalto de olhares claros e cúmplices
ardendo em incompleto poema

Teresa Almeida

2 comentários:


  1. num gesto ainda por completar,

    como olhares que falam, mas se escondem.

    também gosto do teu traço, deste traço de paixão, espera...

    Beijo

    ResponderEliminar