O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

domingo, 4 de novembro de 2012

La Gameta

Abó, you tamien fago parte desta quadrilha. Ana Teresa miraba-me cun ua sunrisa agarrada a ls cielos, i ampeçou a ler l remanse que habie screbido nessa rebista de ls alunos  de mirandés de las scuolas de Miranda de l Douro.
Anton, pa mi, La Gameta ya tenie sonido, spresson: musicalidade – cumo ne l cinema.
Para miu spanto ancuntrei outras miradas, spressones i sunrisas mies coincidas. Anclarórun-se-me las cuontas i ls poemas cumo se tebissen la bida de sous outores. 
Çcubri qu'esta rebista  ye cousa mui antressante: nun ten frunteiras nien eidade  – saltou las paredes de la scuola – apagou las lhínhas de ls cadernos scolares (aqueilhas streiticas, adonde nun se bei nada).  Las fuolhas mirandesas son lhargas, sien quelores. Cumo se to mundo fusse scola ó la scola fusse to l mundo.
La stória de la lhéngua mirandesa yá nun s´agarra nien se perde.
L paíç percisa desta fuorça, desta garra, desta eimensa einergie que nun se sconde: salta de las fuolhas de La Gameta l'atitude, la palabra, la bida – la tierra i l'alma mirandesa.
Por mie parte quiero l muito la La Gameta, até tengo proua neilha - cumo sous outores. Stá screbida nua lhéngua “guapa i campechana” , ua lhéngua que you amo; fala-me de la nuossa tierra i de la nuossa giente - cun un carino special. Bai a quedar mui acerquita de mi; ye bien siguro que bou a passar sfregantes mui buonos.
Teresa Almeida
Publicado Na "Fuolha Mirandesa"  - do jornal Nordeste.

7 comentários:

  1. Teresa, bem vinda ao meu espaço e obrigada. Fiquei agradavelmente surprendida com os teus espaços. Mirandês!Que musicalidade e ...não sei lê-lo correctamente. Parabens gostei imenso do que li, foi uma feliz descoberta esta!
    Beijinho de luar

    ResponderEliminar
  2. Embora não capte o sentido, dou-te os parabéns por essa distinção e pelo teu domínio no mirandês.

    Bjuzz, querida amiga :)

    ResponderEliminar
  3. A melhor maneira de não se perder o património da língua mirandesa é a escrita em revistas, e que as pessoas (e a população local) a possam ler.
    Estava convencido que não iria perceber nada, mas apanhei tudo... o que é engraçado no mirandês é a existência de muitas palavras cujo som eu ouvia aos mais velhos quando era pequeno. Talvez seja isso que me permite ir percebendo...
    Por tudo isto, fizeste bem não colocar a tradução em português...
    Beijo, querida amiga Teresa.

    ResponderEliminar
  4. Querida amiga,

    Parabéns!!

    Muito belo preservar a cultura,a raiz... Senti muito a

    musicalidade e desejei escutar...

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  5. Vim à procura de mais.
    Em mirandês ou em português, já sou freguês...
    Teresa, tem uma boa semana.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. Manter a cultura é um Dever Cívico. Parabéns. Contudo ainda me faltam alguns passos para o entendimento total da Palavra e do sentido.
    Admitir a inserção dum pequeno Quadro com a tradução, não seria (de todo) desajustado neste Espaço que se quer divulgar.
    Mesmo com as "tais" limitações, adorei. Parabéns.


    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  7. Maravilhoso também amei!

    Um beijo no coração.

    ResponderEliminar