O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

domingo, 8 de dezembro de 2013

Sem medo


sei que há trambolhões desesperados

mas eleva-te acima, suspende-me
os meus pés estão pesados e a escrita
anda perdida no nosso descontentamento
caiu contigo da árvore que de fartura
atraiçoou o teu passo num galho mais frágil
 
sinto-te mais em mim mesmo afastado
ainda quero ter o teu voo ágil e a rima
e a palavra que tinha o sabor intenso e breve
do abraço justo, impaciente, delineado
no meu corpo desperto, em desassossego
 
quero ver-te no meio do bulício, sem medo
partilhando os sabores da amizade
quero voltar a sentir-te solto e leve
o pé em jeito de apanhar o primeiro acorde
e a vida em laivos de felicidade 
 
Teresa Almeida

5 comentários:

  1. Leio e releio este teu magnífico poema, minha amiga Teresa, saboreando prazerosamente o ritmo magistral que vibra em cada verso, em cada estrofe. Meço bem minhas palavras e magistral é aqui o adjetivo que mais adequado.
    E essas tuas rimas internas e toantes que tanto me encantam, inspiram-me também.

    Todo teu poema é um desiderato de alento, de força e de fé em um retorno que já se afeiçoa vitorioso. Isso porque, em teu poema, o entusiasmo contagia e, muito certamente, ressoará positivamente no espírito de quem irá recebê-lo.

    Um dos poemas mais vibrantes que já li mas, ao mesmo tempo, eivado de uma ternura que cativa e me deixa cada vez mais admirativo desse maravilhoso poder que tem a Poesia sobre os seres humanos.

    Meus aplausos, querida amiga, e um grande abraço com carinho.
    André

    ResponderEliminar
  2. "Partilhar os sabores da amizade" é das melhores coisas que há.
    E o teu poema, também é da melhor poesia que há...
    Teresa, tem uma boa semana.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Mais um poema soberbo, repleto de maturidade, em que cada metáfora tem o sabor da vida em laivos de felicidade...

    Beijinho e Feliz Natal, para si Teresa e para todos os seus!!

    ResponderEliminar
  4. Reli, mas gostei de o fazer.
    Porque a boa poesia é para ler muitas vezes...
    Teresa, minha amiga querida, tem um bom domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. "Sem medo" é poema...
    mas também um estado

    sem medo, do teu lado

    ResponderEliminar