O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

"Pathétique"

 
Talvez como quem justifica a dor da ausência

mandaste-me Tchaikovsky como embaixador.
 
 
Interpretei os silêncios  da sinfonia (era a 6º )

 como quem se prepara e espera do amor

uma avalanche de emoções. Depois sentia-as fluir,

por antecipação, deslizando na amargura,

na saudade, na ânsia. O rosto molhado e o olhar entranhado

na apoteose de toadas finais. Porém, quando a melodia hesita

 e treme nas íntimas fímbrias do meu peito,

 quero adivinhar novos acordes - sinfonias de euforia.
 
 
E foi assim, nesta manhã estremunhada e opaca,

que Tchaikovsky ocultou as estrelas que nos adormeceram

e a orquestra tocou - demoradamente - só para nós!
 
Teresa Almeida
Rio Douro - Miranda do Douro

10 comentários:

  1. Querida Teresa,

    Tão belo e dorido...

    Encontro sempre na tua ímpar e bela poesia,um espaço em

    que a minha emoção explode e implode num sopro mágico poético.

    Adoro sempre ler-te...

    Beijinho e grande abraço de paz na tua alma...

    ResponderEliminar
  2. A musica e a poesia de mãos dadas, para abafarem a solidão da espera de um amor que tarda...
    Um poema maravilhoso, chorado, sentido, declamado. Com a dignidade de quem é Poeta.

    Beijinhos Teresa, maravilhosa a tua escrita...:)

    ResponderEliminar
  3. Minha querida

    desculpe entrar sem pedir licença, mas adorei tudo o que li aqui e tomei a liberdade de seguir, para voltar mais vezes.

    Um beijinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  4. Talvez seja a emoção, o sentimento que perpassa, em relevo, neste teu poema. É um sopro, uma leitura quase sem pausas como se acompanhasse a música...É um fluido poético que escorreu da alma para o papel...

    Já tinha lido noutro espaço e logo gostei. Aqui, ouvi a música!

    Gostei imenso, querida Teresa!

    Bjuzz :)

    ResponderEliminar
  5. Uma sinfonia poética perfeita.
    Gostei imenso do teu poema, que é excelente.
    Teresa, minha querida amiga, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. O seu poema é maravilhoso e, sendo de Miranda do Douro faz com que eu me torne sua fã e leitora (adoro sua terra, minha família é de lá de perto. Saudades!)
    Abraço brasileiro,
    Renata Cordeiro

    ResponderEliminar
  7. "atrevette" a tomar por "pathétique" este texto em tão grande Sinfonia (e sintonia)!...
    Belo Poema, Teresa.


    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar