O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

sexta-feira, 28 de março de 2014

Teatro e vida


Essa energia que te atira ao alto,
esse riso, essa mímica, irresistível atração,
sobressalto, questionamento, aflição,
esse chão e esse palco que te amolece.

Há alegria que pisas e um céu que te arrebata,
olhar que fulmina de ódio e se derrete
contradição que te anima, grito, revolta,
vontade de dar a volta e dizer não
ao sim sem força.

Ah, esse fingimento de seres,
essa glória, esse fulgor,
essa prisão.

Esse voo maior é teatro e vida
momento fugaz, dor que aperta,
poeta rebelde, dura paixão, querer,
peça gasta, que nunca te afasta
do menino assustado,

a tremer na vontade de crescer.

Teresa Almeida

12 comentários:

  1. Nesse cenário
    me enceno

    "a tremer na vontade de crescer"

    ResponderEliminar
  2. Minha querida

    Por vezes as asas estão cansadas e não conseguem voar. Mas o teu voo foi sublime.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  3. O teatro tem no palco a arte viva,

    o palco da vida tem a arte do amanhecer

    num voo crescente...

    O teu voo poético sempre transcende,querida Teresa!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Vida em teatro e teatro na vida.
    Num fige-se que somos.
    Noutro somos tendo a verticalidade de não fingir

    Belo poema, Teresa. Excelente
    Bem vinda e obrigada. Não sabia que tinhas blog
    Que bom te ver!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Você tem o dom da escrita e algo que me fascina: é de Miranda do Douro, lugar que conheci aos 25 anos e de que nunca me esqueci.
    Beijinhos,
    Renata

    ResponderEliminar
  6. Viver várias vidas, agiganta-nos.
    Personificar sentires, fortalece-nos.
    Ousar voar, caracteriza-nos.
    Escrever, eterniza-nos...

    (Ai esta vida de teatros desarrumados...)

    E pronto, deliciei-me, querida Teresa!

    Bjuzz :) :)

    ResponderEliminar
  7. A vida é um palco
    sempre estou preocupado
    com os utentes das plateias

    ResponderEliminar
  8. A vida é um teatro improvisado, sem guião...
    E o teu poema é excelente, gostei imenso. Como sempre, aliás.
    Teresa, tem um bom fim de semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  9. Olhar fotográfico polvilhado de pura poesia...
    Muito belo, Teresa!

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  10. Vim à procura de mais...
    Teresa, tem uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  11. Teatro, encarnação, poesia, amor...
    "[...]Ah, esse fingimento de seres,
    essa glória, esse fulgor,
    essa prisão.

    Esse voo maior é teatro e vida
    momento fugaz, dor que aperta,
    poeta rebelde, dura paixão[...]"

    Tão bem o expressas, que acrescentar algo não ia edificar.
    Parabéns.


    Beijos



    SOL

    ResponderEliminar
  12. Voa Teresa!! E no palco da vida, terás o mundo em tuas mãos...:)
    Muito belo...

    Beijinho

    ResponderEliminar