O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

domingo, 7 de dezembro de 2014

PALAVRA DE TORGA integrada na FEIRA DO LIVRO do Agrupamento de Escolas de Miranda do Douro.

Não, não direi que a noite estava escandalosamente fria. No Nordeste Transmontano conhecemos muito pior! Mas, se dissermos que a magia deambulou por aí, já não exageramos. E se dissermos que a poesia do nosso Miguel Torga aqueceu a noite no coração da cidade de Miranda do Douro, também não exageramos.
No interior do Museu da Terra de Miranda a palavra do poeta brilhava nos olhares dos que já a queriam muito e dos que para ela despertavam. Conceição Lima, uma minhota com a alma arraçada de transmontana, esteve no auge do seu fulgor poético! Sala cheia.
A transparência das portas do museu oferecia-nos uma visão da praça D. João III em todo o esplendor noturno. A poesia subia e a emoção crescia!
Estamos crentes que Miguel Torga se sentiria tão feliz como nós ao ouvir os seus poemas, ditos pelos alunos e professores do Agrupamento de Escolas, nesta língua "amerosa" - a Língua mirandesa.
Um conto ( Fronteira) - ao jeito telúrico de Miguel Torga (a cargo da juventude exuberante dos "Tretas"), rematou o sarau no seio de uma ovação bem sentida.
Estão de parabéns os que deram as mãos para levar a efeito esta aposta poética que entrou pela noite mirandesa de forma inesquecível!
A escola e a comunidade em interação. O precioso apoio da Câmara Municipal. A Associação de pais, O Museu da Terra de Miranda. O grupo de teatro "Tretas".
Foi bom sentir este estimulante abraço cultural.


PALABRA DE TORGA

Nuite de Poesie ne l Muzeu abarcada pula Feira de l Lhibro de l grupamento de Scuolas de Miranda de l Douro

 
No, nun bou a dezir que la nuite staba frie. Ne l Nordeste Stramuntano conhecemo-las muito más malas. Mas se dezirmos que la magie andou por ende, nun mos botamos fuora de l reilho. I se dezirmos que la poesie de l nuosso Torga calciu la nuite ne l coraçon de la cidade de Miranda de l Douro cuntinamos ne l reilho.
Drento de l Muzeu de la Tierra de Miranda de l Douro la palabra de l poeta relhuzie ne ls uolhos de ls que yá la querian muito i de ls que pareilha spertában.
Conceição Lima, ua minhota cul´alma raçada de stramuntana, arrepaçou la carapota de l sue arte poética! La sala iba-se cumponendo ...
Las puortas de l muzeu deixában arrepassar ls uolhos i oufrecien-mos ua bista de la Praça  D. João III an todo al sou brilho noturno. La poesie chubie i l´eimoçon crecie!
Stamos ciertos que Miguel Torga s´habie de sentir tan feliç cumo nós al oubir als sous poemas dezidos puls alunos i porsores de l Agrupamento de Scuolas, nesta lhéngua amerosa  - La Lhéngua Mirandesa.
Ua cuonta (Fronteira) - a la moda "telúrica" de Miguel Torga (por cuonta de la mocidade formidable de ls "Tretas") - arrematou la nuite, ne l meio de muita palma bien sentida.
Stan de parabienes als que dórun las manos para poner de pies esta aposta poética q´antrou pula nuite mirandesa de maneira que nunca s´apagará.
La Scuola i la quemunidade an açon. L ajuda de la Câmara Munecipal. L Associaçon de Pais, l Muzeu de la Tierra de Miranda i l grupo de teatro "Tretas".
Fui, al fin de cuontas, un baliente abraço cultural.


Teresa Almeida Subtil







6 comentários:

  1. OI TERESA!
    TE VI EM OUTRO BLOG E VIM CONHECER TEU ESPAÇO E TAMBÉM JÁ TE SIGO.
    PELO QUE VI NAS BONITAS FOTOS O EVENTO DEVE TER SIDO ÓTIMO.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Olá, Teresa
    Imagino que deve ter sido um evento muito bom.
    As fotos assim o sugerem...
    Gosto MUITO de Miguel Torga. Pena eu estar tão longe e não pode assistir...

    Desejo-te...

    UM NATAL MUITO ALEGRE E FELIZ, COM PAZ E MUITO AMOR NO CORAÇÃO.

    Um beijo
    MIGUEL

    PS - Estou a preparar um post para publicar no dia 22 e não no dia 24 como é habitual.
    Conto com a sua presença lá no «DEUSA», o que desde já agradeço.

    ResponderEliminar
  3. Olá Teresa!
    Imagino como serão frias essas noites no nordeste transmontano, região que não conheço, mas a poesia, tal como serve "para comer", como diria Natália Correia, também servirá para ajudar a aquecer, pelo menos o espírito.
    Interessante o facto de poemas de Torga terem sido ditos em Mirandês, e que bom saber que toda a comunidade escolar parece tudo querer fazer para que o Mirandês continue bem vivo.
    Parabéns a todos, e um Feliz Natal, Teresa.
    xx

    ResponderEliminar
  4. Que tudo se faça, para que as raízes e a cultura nunca se percam...
    E que a vida se cumpra, no amor e na alegria, dos afectos partilhados....
    Querida Teresa, para ti e para todos os teus....os meus votos de Feliz Natal!
    Beijinho meu...:)

    ResponderEliminar
  5. Que bom encontrar Torga por aqui. Sou fã incondicional da escrita e do Homem...
    Muito obrigada pelas palavras deixadas no meu "Ortografia" Passarei aqui outras vezes. Um beijo e bom Natal.

    ResponderEliminar
  6. Promover e dar a conhecer aos alunos e população respetiva a obra de MIguel Torga foi uma excelente iniciativa.
    Ele ficaria orgulhoso se fosse vivo, pois claro.
    Querida amiga Teresa, desejo que tenhas um excelente Natal, na companhia dos teus familiares.
    Beijo.

    ResponderEliminar