O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Faltas-me


3 comentários:

  1. há paisagem assim de sonho
    coleantes e bravias!

    boas lembranças.

    gostei muito

    ResponderEliminar
  2. Palavras mágicas , ilustradas pela beleza da imagem.
    Aqui, sente-se a liberdade do vento e os aromas da natureza...

    Beijinho Teresa...gostei muito!

    ResponderEliminar
  3. Querida Teresa,

    A doce montanha (do teu sentir) das tuas lembranças
    desenhadas de uma liberdade e entrega.
    Belíssimo!!
    Beijos.

    ResponderEliminar