O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

sábado, 1 de setembro de 2012

Porque tu vens aqui



Sei que me encontrarás
na confluência do sorriso
que idílico se acende
porque tu vens aqui.

Na "lingerie" de azuis profundos
as ondas formam rios
delineados de luz.
As pérolas luzem
nuances coralígenas
sentimentos vadios
porque tu vens aqui.

As palavras são aves
excitadas e atordoadas
porque tu vens aqui.


Teresa Almeida

6 comentários:

  1. Sei que te encontrarei ave, perola ou sorriso... Que cantas, brilhas ou encantas. Por isso virei sempre aqui...

    ResponderEliminar
  2. Eu só venho aqui porque tenho a certeza que tu estás aqui...
    Mas nem falo de "lingerie"...
    Porque do que eu gosto é das tuas palavras e de ti.
    Beijo, querida amiga Teresa.

    ResponderEliminar
  3. Ao encontro das tuas palavras,asas que libertam significados

    em beleza poética,rica em sentidos...

    Adoro esse voo aqui!!

    Beijo,amiga.

    ResponderEliminar
  4. Muito lindo Teresa!

    Gosto de ler teus escritos uma bela noite beijos.

    ResponderEliminar
  5. Voltei para ver as novidades.
    Não havia, mas tinha o teu sorriso à minha espera...
    Teresa, querida amiga, um beijo meu.

    ResponderEliminar
  6. Já comentei este poema, algures...

    Doçura, toque sedutor, palavras de sentidos encantados, eis o belo do teu poema.

    E já sei porque venho aqui...

    Bjuzz, querida amiga :)

    ResponderEliminar