segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Fascínio




 Não sei se o fascínio vem do brilho dos solitários

com coloridas folhas de parreira

se da beleza translúcida da jarra verde

comprada para o casamento da avó

se da travessa esmeralda, enfeitada

com uvas de rei da vinha da faceira.



Ou será apenas  um poema

que vive na sala um enredo outonal

filtrado à hora mágica do sol-pôr

ou a saudade esgueirada dum olhar amigo

pena esvoaçante de ave

pintada num elegante vaso antigo?


Teresa Almeida Subtil



terça-feira, 1 de outubro de 2019

Vamos!


O maestro tem a batuta na mão e traquejo de orquestra.
Não, não penses que estão no salão,
em qualquer lugar entram a tempo, gente sem idade.
Quero participar neste festival, todos são chamados,
é a aldeia global.
Quero entrar na hora e acertar o tom.
O maestro tem garra e sabe agarrar-nos a alma,
cada um dá o melhor de si, a sua própria voz;
até um cana rachada sente o apelo e responde à chamada.
O maestro não sabe de onde vem, não pertence a lugar nenhum,
apanha o melhor de cada um.
A pauta é de veredas abandonadas.
A melodia nasce nos caminhos.
Na diversidade está a beleza e a energia do trecho musical,
a criação.
No arrebatamento está a afinação.
Eu já tenho a bengala,
não importa de quem é a ideia,
a causa é comum: vamos!


Bamos! (lhéngua miandesa)

L maestro ten la bara na mano i saber d'ourquestra.
Nó, nun penses que stan ne l salon,
an qualquiera sítio éntran a tiempo, gente sien eidade.
Quiero partecipar neste festibal, todos son chamados,
ye l'aldé global.
Quiero antrar na hora i acertar l tono.
L maestro ten chama i sabe agarrar-mos l'alma,
cada un dá l melhor del própio, la sue própia boç;
até un canha rachada sinte l bózio i responde a la chamada.
L maestro nun sabe dadonde ben, nun pertence a lhugar niun,
apanha l melhor de cada un,
La pauta ye de breias abandonadas.
La melodie nace ne ls caminos.
Na dibersidade stá la beleza i l'einergie de l testo musical,
la criaçon,
ne l arrebatamiento stá l'afinaçon.
You yá tengo la caiata,
nun amporta de quien ye l’eideia,

la causa ye de todos: bamos!

Teresa Almeida Subtil
(In Rio de Infinitos / Riu d'Anfenitos)

Celebrando o Dia Mundial Da Música.




L sol de las froles