quinta-feira, 28 de março de 2019

Primavera





Este encanto que tu dizes
e as palavras que me cantas
quando em Março te levantas
e me abraças devagarinho

Este feitiço que espalhas
em explosões de alegria
este ritmo, este riso, esta fantasia
é um devaneio primaveril
num mundo insano

É até pecado sentir-te desta maneira
mas quero o teu ar de feiticeira
à solta no meu canteiro

Teresa Almeida Subtil



domingo, 17 de março de 2019

Intimidade




O percurso é curto e sinuoso. 
Lembro a naturalidade com que nasceu
Meu ramo de flores, folhas e nervuras.



As palavras
Serão garças ou estrelas e para serem ramo
Têm que ferver de intimidade.

Lembro a clareira e volto cheia de sede.
Talvez encontre a fonte e, no horizonte,
Os caminhos reverdeçam.
E as palavras gemam e regressem.

E é com avidez que aguardo
Que os poemas aconteçam
Em sua liberdade.


Teresa Almeida Subtil

sexta-feira, 8 de março de 2019

Laços de Ternura





Para além
da flor da amendoeira, da violeta, do rosmaninho,
de todos os perfumes
percebidos através da tua pele
e de todas as luzes que passaram pelos teus olhos,
lembrar-te-emos!

Os prados são verdes porque os amaste um dia,
e como eu queria dizer-te, ainda,
o bem que me fazia a tua luzidia voz.
Fonte que ria e chorava.

Viverei no teu lastro e a tua aura é de força,
Mulher que partiste e querias viver!
Vives connosco!

O amor é invencível, é para sempre!
vieste dizer-nos, jovem ainda.

E aqui estamos.
Mesmo que a vida nos falhe e nos silencie a voz,
nosso é o caminho das estrelas como tu.

Deslaçadas as águas do rio dos olhos,

precisamos da luz que derramaste.


É o amor, em crescendo, que redimensionas
para lá das estrelas.
Só com elas somos universo.

Teresa Almeida Subtil

(Poema inserido na temática "cancro da mama".)

Voltarei!