quarta-feira, 17 de março de 2021

Proximidade

Dizem-te japonesa

Mas porque muito te quisemos

Organizaste o teu canto

Escolheste o encanto e a proximidade

E de estrangeira

Passaste a rosa de inverno

És agora mirandesa

E que bem me sabe um café

À tua beira

E sentir esse sabor africano

A energia e o calor

Que corre dentro duma flor

No sangue dum repasseado

Ou no culto

De um cante alentejano.


Teresa Almeida Subtil







sábado, 6 de março de 2021

Já é dia|



Chegou a hora de abrir o azul de Março
E expor anúncios de primavera
A rebeldia da terra já cansada
A coragem e a galhardia
Está na hora
Já é dia!

Chegou a hora de esgalhar a árvore
Que do reino se fez grito
Libertar a ave e a flor
Presas em canto aflito.

Ergue agora a tua voz
Espontânea e selvagem
Desinstala a monotonia
Ressuscita a paisagem
Já é dia!


Teresa Almeida Subtil









Tresmalhada Ternura