O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Desencanto


Grande é a surpresa
que me deste
maior que a alegria que despertaste

O riso
que caminhava para o dia
deixou de perceber a ausência

Nada como a música e a pintura
para aprender a distância
anular o espanto
e escrever, escrever

O desaire, o desencanto
arrumados na prateleira
definitivamente

que o pó os tape em camadas seculares

segunda-feira, 8 de Agosto de 2011

2 comentários:

  1. A(s)arte(s)são o espanto maior do ser humano, são a sua linguagem, em diferentes formas de se exprimir e patamares emocionais diferenciados, conforme a vivência de cada um; daí que "não dês o peixe, ensina a pescar"...
    Um poema reflexivo. Gostei amiga!
    Bjuzz :)
    (Vou andar ausente, por uns tempitos...)

    ResponderEliminar
  2. A expressão e a reflexão através da arte!
    Obrigada amiga pelo incentivo.
    Que esses tempitos de ausência sejam retemperadores!
    Bjuzz:)

    ResponderEliminar