O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

segunda-feira, 21 de maio de 2012

SENTIDOS

6 comentários:

  1. De prender o sorriso num beijo a perceber o cheiro na pele, o teu poema é belíssimo e bem construído.
    Gostei muito.
    Beijo, querida amiga Teresa.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Teresa, passei para ver as novidades...
    Desejo-te uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Sabes que és uma visita do meu agrado Nilson.
    Gosto do desafio. Obrigada.
    Boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. Apenas sorrio...Ousadia...NO bom sentido...

    Bjuzzz, amiga :)

    ResponderEliminar
  6. Um grande sorriso de agradecimento para ti amiga Odete.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar