sexta-feira, 19 de julho de 2019

A bola doce baila na boca / La bolha doce beila na boca



Eu levo uma bola doce mirandesa à apresentação do meu livro! Prometo e cumpro, mas um belo dia esqueci-me. Mesmo assim, talvez o nome ficasse no ouvido e, na hora de votar, inscrevam a cruz naquela de sete camadas, com cheiro a canela e umas rendas à volta, a juntar a massa. Não há como enganar. Este sabor a sete pecados já ganhou fama. A bola doce é macia como a língua mirandesa. É uma sedução que se agarra aos lábios e toma conta do corpo inteiro. E a escrita só pode ser de corpo inteiro.
No planalto a bola doce nunca falta nas atividades culturais, é sempre a rainha da doçaria. Lembro-me de quando a vi pela primeira vez. Não sosseguei enquanto não a trinquei e senti o baile na minha boca. Que sabor, meu Deus! É, naturalmente, um bolo que traz as arribas à ideia. É por isso que a levo à apresentação dos meus livros. Vai bem uma bebida, um copo de vinho fino, o vinho do nosso Douro é o ideal. Até as encostas das vinhas são em socalcos. Está tudo ligado.
Ela, também, é de planalto, mas quer subir e andar nas bocas do mundo. E se gosto tanto e engordar um pouco, não importa. Bailo um repasseado, um pingacho ou mesmo as ligas verdes e volto a ser a mesma. Nem de cantiga preciso. A dança é a melhor ginástica e a música vive em mim. A dança mirandesa é de despique, com rendas, braços i pés no ar. Os passos são bem picados como os trabalhos que enfeitam o traje.
Para nos aproximarmos do céu, basta um bocado  de bola do doce e … numa dança mirandesa vamos mais depressa.



La BOLHA DOCE beila na boca.  


You lhiebo ua bolha doce a l’apersentaçon de l miu lhibro! Pormeto i cumpro mas, la cuonta ye que houbo ua beç que me çqueci. Mas talbeç l chamadeiro quedasse ne l oubido i na huora de botar póngan ua cruç naqueilha de siete camadas, cun cheiro a canela i uas rendas a la buolta, a juntar la massa. Nun hai q'anganhar. Este sabor a siete pecados yá ganhou lomeada. La bolha doce ye amerosa cumo la lhéngua mirandesa. Ye ua seduçon que s´agarra als beiços i toma cuonta de l cuorpo anteiro. I la scrita solo puode ser de cuorpo anteiro. 
An Miranda de l Douro la bolha doce nunca falta nas atebidades culturales, ye siempre la reina de la doçarie. Dou fé de quando la bi pula purmeira beç. Nun çcancei anquanto nun le botei ls dientes i senti l baile na mie boca. Que sabor, miu Dius! Ye, naturalmente, un bolho que trai las arribas a l’eideia. Ye por isso que la lhiebo culs lhibros por ende. Calha bien ua buída, cumo tal un copito de bino fino, l bino de l nuosso Douro. Até las lhadeiras de las binhas son an patacones. Stá todo lhigado.
Eilha tamien ye de l Praino, mas quier chubir i andar nas bocas de l mundo. I se me gusta tanto i you quedar mais ancha, tanto se me dá! Boto-me a beilar un repassiado, un pingacho ou mesmo las lhigas berdes i torno a ser la mesma. Mais a mais nien cantiga perciso. L baile ye la melhor ginástica i la música tengo-la an mi. L baile mirandé ye de d’afronta, cun  rendasi einaugas braços i pies al aire. Ls passos son bien picados cunsante ls anfeites de ls saiotes i ls chambres de las ties que béilan ne l terreiro.
I "para mos arrimarmos al cielo” solo cula bolha doce i … cua dança mirandesa bamos mais debrebe.

11 comentários:

  1. Sete pecados mortais, Teresa, que nos levam, ao Céu ... da boca!
    e que extravasam para outros tantos - está tudo ligado, não é verdade? - no néctar dos deuses, que é o vinho do "nosso Douro", ou no despique da dança do pingacho ou das ligas verdes...

    nunca antes, nenhum texto "falou" tão bem de ti e do nosso planalto
    e quem não gostar do bolo, que deixe ficar - não faltará apetite!...

    parabéns, minha amiga. excelente texto.

    beijo

    ResponderEliminar
  2. Só hoje consegui chegar aqui! Não estava a par desta iniciativa... sendo assim, como as votações já encerraram... fico então com expectativa, aguardando para saber, como ficaram as votações... e como ficará classificada a bola doce mirandesa!... Grata por divulgar tal iniciativa, nas suas eloquentes e entusiasmantes palavras, Teresa!...
    Beijinho! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  3. Olá, Teresa!
    Neste criativo e agradável texto há menção aos teus livros. Deles não fiquei sabendo mais. Bem que gostaria de saber uma pouco mais de teus livros. Quem sabe possas escrever um texto sobre eles. Quem sabe?
    Meus votos de um feliz domingo, querida amiga Teresa.
    Um beijo.
    Pedro

    ResponderEliminar
  4. Querida Teresa

    Que excelência de texto! E é tudo uma doçura só, a bola, o vinho do Douro, os cantares, os dançares e essa terra maravilhosa que a tanto nos convida. E realmente está tudo ligado especialmente à sua escrita e, também, a essa doce língua, a mirandesa.

    Desejo-lhe um bom Domingo, minha amiga.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  5. Não conheço essa bola doce, mas imagino que, como dizes, tenha o sabor a sete pecados mortais. O teu texto é maravilhoso por denunciar todo o amor que sentes pelo teu chão mirandês.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. Gulosa como sou, fiquei com 'água na boca', a estas horas!
    Este Natal ofereceram-me uma caixa com uma bola semelhante,
    dobrada, entre cada dobra, o açucar e canela...
    Imagino a delícia que será a mirandesa!
    Gostei de conhecer mais uma das vossas tradições.
    Uma semana agradabilíssima.
    Abraço, querida Amiga.
    ~~~

    ResponderEliminar
  7. Tenho a certeza que é o melhor texto que a bola mirandesa tem para a sua promoção nesse concurso. Porque, depois de ver a foto da bola e de ler o teu texto, fiquei cheio de fome dessa bola que eu nunca comi (há muitos anos comi bola de Trás-os-Montes, era muito boa mas não era mirandesa...).
    Por isso, espero que ganhe (ou que tenha ganho, porque o período de votação já terá terminado).
    Querida amiga Teresa, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. Não sei o que é uma "bola doce mirandesa", mas pelo modo poético que escreves sobre ela, certamente é algo bom e que imagino que eu gostaria de conhecer! Beijos.

    ResponderEliminar
  9. Palavras doces e sentidas para homenagear um doce, que não conheço mas deve ser divinal.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  10. A tua dança continua mesmo depois da exposição que fizeste, tal o bailado das papilas gustativas que sustentam os socalcos da bendita bola. O folar transmontano é um ex-líbris. Mas que venha para a ribalta a bola doce mirandesa para fazer jus a mais uma iguaria do nosso país.
    Abraço, querida amiga!

    ResponderEliminar
  11. Caros amigos,

    Muito grata aos que tiveram a gentileza de comentar este meu texto. Na verdade promoveu-se a bola doce e a região. Acredito que alguns terão a ousadia de virem provar a iguaria. Não se arrependerão.
    E a bola doce conseguiu um honroso quarto lugar.

    Bem hajam! Beijinhos.

    ResponderEliminar

Voltarei!