quarta-feira, 17 de março de 2021

Proximidade

Dizem-te japonesa

Mas porque muito te quisemos

Organizaste o teu canto

Escolheste o encanto e a proximidade

E de estrangeira

Passaste a rosa de inverno

És agora mirandesa

E que bem me sabe um café

À tua beira

E sentir esse sabor africano

A energia e o calor

Que corre dentro duma flor

No sangue dum repasseado

Ou no culto

De um cante alentejano.


Teresa Almeida Subtil







22 comentários:

  1. Poema muito bonito. Adoro ouvir Luís Trigacheiro. Grande interprete.
    .
    Abraço poético.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde Teresa,
    Tao belo este poema, como bela é a voz de Luís Trigacheiro.
    Proporcionou-me um sublime momento que muito me emocionou.
    A flor seja qual for a sua nacionalidade é linda também.
    Obrigada!
    Um beijinho e saúde.
    Ailime

    ResponderEliminar
  3. Um belo poema, que também é uma homenagem a um excelente cantor, que se tem afirmado como um valor seguro do panorama artístico nacional. Gosto muito de o ouvir cantar!

    Um dia feliz, Teresa.
    Um brande abraço!

    ResponderEliminar
  4. Teresa,
    Essa linda flor penso que é uma camélia.
    Tenho uma linda também aqui no meu jardim e curiosamente bebo, não um café, mas um chá junto dela. Adorei o poema.
    Luís Trigacheiro , desde o primeiro momento que o ouvi, soube logo que era especial, tal como jurados que se viraram para o aplaudir.

    Um beijinho e muita saúde

    ResponderEliminar
  5. Teresa, que lindo aqui! Te vi lá e vim correndo te ver! Adorei tua participação e nunca invades, és sempre muito bem vinda! Gostei muito! Bom te ver! beijos, lindo fim de semana! chica

    ResponderEliminar
  6. Viagens por vários pontos deste nosso mundo.
    Várias culturas aqui mencionadas de forma
    bela e sensível, neste seu belo poema.

    Um percurso amoroso e perfumado.

    Obrigada, querida Teresa por estes belos momentos
    ao som da voz de Luís Trigacheiro.

    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Fiquei encantada!
    Belo momento, tanto o poema como a música são belos! Este post toca na alma da gente!
    Parabéns!

    Beijinho!

    ResponderEliminar
  8. Excelente poema, como sempre.
    O Trigacheiro é um grande intérprete. E foi um justo vencedor.
    Bom fim de semana, querida amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  9. belo e inspirado Poema, Teresa Almeida
    bem interessante eesa abordagem (em forma de poesia) dos processos de aculturação...

    gostei muito

    Beijo, minha amiga

    ResponderEliminar
  10. Culturas que se aproximam e enriquecem o conhecimento e a solidariedade. Lindíssimo, o teu poema, minha Amiga Teresa.
    É impossível não gostar de ouvir o Luís Trigacheiro.
    Cuida-te bem.
    Uma boa semana.
    Um beijo.
    E viva a Poesia!

    ResponderEliminar
  11. Olá, Teresa, gostei muito desta "Proximidade", um poema singular e de grande beleza. Parabéns querida amiga.
    Um bom domingo e uma excelente semana, com muita saúde.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  12. As culturas, embora diferentes, misturam-se, sempre. E eu que sou alentejana!

    Feliz dia mundial da poesia, poetisa amiga. Beijos.

    ResponderEliminar
  13. Teresa, olá!

    No desatar luminoso das manhãs,
    és tu que plantas a Primavera sobre o viço das folhas
    e acendes a luz que nos molda nas bocas um sorriso!
    E tudo floresce!

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  14. Adoro camélias... As dos Açores também são muito belas.

    E esta mirandesa inspirou um belíssimo poema, onde as cores, sons e aromas se adaptaram perfeitamente às terras do Alto Douro.

    É sempre um prazer passar por este jardim poético.
    Feliz primavera, Teresa. Beijinhos
    ~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  15. Adorei o seu cantinho embora não saiba nada de poesia mas gosto muito de ler um😘😘

    ResponderEliminar
  16. A universalidade impõe-se, é verdade, mas a sensibilidade de cada um permanece ímpar. Que assim seja, para bem de todos nós.

    Um beijinho, Teresa :)

    ResponderEliminar
  17. Exala perfume deste poema e quase aceito o convite não formulado para sentir "A energia e o calor/Que corre dentro duma flor" e quem sabe, pois se "bem me sabe um café / À tua beira", para sentir de mais perto o calor do teu poema!
    Um beijo, minha amiga Teresa!

    ResponderEliminar
  18. Teresa, querida, 'Proximidade' é muito belo, um prazer em lê-lo, porém o vídeo não deu para escutar, o pc está sem som, estou aguardando a onda baixar para levá-lo ao técnico. Estou no pc do Pedro, o meu deu, pifou! Logo agora na pandemia que está no seu auge.
    Querida, desejo a você e sua família uma feliz Páscoa.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  19. Bom fim de semana e uma Páscoa Feliz, dentro do possível, querida amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  20. Lindíssimas camélias, que inspiraram esta deliciosa cumplicidade poética! E esta participação musical... proporcionou-se poder apreciá-la quando passou no programa... e foi de facto muito especial!
    Um todo, repleto de talentosos aromas, nesta publicação, numa combinação perfeita!...
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar

Voltarei!