quarta-feira, 25 de agosto de 2021

Brisa poética

 Tenho vontade de luzir um chapéu de palha.

 Abas largas e alças

 Sandálias e sedas. E pássaros nos olhos.

 

 Chegou o verão! E ao meu rosto sereno

 Falta o calor da sesta e a cor do trigo maduro

 Sol puro no meu rosto

 Gozo poético.

 

 E a sombra da parreira na varanda

 E a tarde transgressiva.

 

E se o verão é poeta, fingidor e abusado

 Vou esvoaçar entre as pingas

 Alongar o verde da folha

 Onde resplandece a magnólia

 E a melancolia.

 

Chama-me a fantasia. Os pés ganham confiança

 E a brisa beija-me o corpo arrepiado.

 O chapéu procura o verão

 E enlouquecido

 Baila descompassado.


Teresa Almeida Subtil










12 comentários:

  1. Brincando se escrevem magistrais poemas. Foi o seu caso.
    .
    Cumprimentos poéticos
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  2. Que belo poema, Teresa! E arregaçar as mangas e deleitar-se com chegada do verão. Pássaros nos olhos e a fantasia, e o chapéu. A cereja do bolo é o detalhe do chapéu.
    Um beijo, minha amiga!

    ResponderEliminar
  3. Uauuuu! Que maravilhoso poema Teresa!
    Muito mais que uma brisa,
    o teu poema é um vendaval de poesia!
    O meu aplauso!

    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  4. Maravilhoso, querida Teresa, olha aí o poder do verão!!
    O vídeo a 20 mãos é fantástico, que postagem show, amiga!
    Aplausos!!
    Um feliz fim de semana pra você, com saúde, alegria e muita inspiração!!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  5. Uma vontade que o verão despertou, o chapéu luziu, dançou e nos encantou!
    Que lindo Teresa, e o vídeo, muito original esta peça para piano a 20 mãos.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  6. E o verão mora no teu chapéu de palha... Que poema encantatório, minha Amiga Teresa!
    Cuida-te bem.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  7. A esse belo chapéu tudo se permite, até dançar descompassado.
    No seu baile vai em demanda do Verão que este ano está bastante arredio. Mas aqui, com o seu belíssimo poema, Amiga Teresa, não falta mesmo nada. Sandálias e seda, uma tarde transgressiva, para quê mais?

    Beijo
    Olinda

    ResponderEliminar
  8. Uma bela brisa poética num excelente poema.
    Gostei muito, como sempre.
    Continuação de boa semana, amiga Teresa.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  9. um Verão pleno de recordações ... e de charme!

    beijo, Poeeta

    ResponderEliminar
  10. Um poema maravilhoso, que nos transmitiu a verdadeira essência do Verão!
    Um verdadeiro privilégio, poder respirar estes poéticos e inspiradores aromas!
    Um beijinho! Feliz semana, e votos de uma excelente participação na Feira do Livro, com tudo a correr pelo melhor!
    Ana

    ResponderEliminar

Voltarei!