terça-feira, 28 de setembro de 2021

Augas Bibas /Águas Vivas

 



Stan bibas las augas de l miu riu,
esta fala i este sentir fondo,
estas faias i esta abes
q’ábren alas al tiempo airaçado. Stan bibas estas yerbas
que na secura de l suolo
spárban poemas al aire
i bísten la fraga znuda i dura
de quelor, alegrie
i beisos demorados de berano.
Stan bibas las palabras que se sgódan als lhábios,
cun gusto a moras maduras
las mais negritas i chenas.
Stan bibas las augas de l miu riu,
seia atamadas, seia arressaiadas de febre
i brabura, cun ganas de resbalar
de las alturas, cun la fuorça
a chiçpar la nuite scura.

:::


Águas vivas


Estão vivas as águas do meu rio,

esta fala e este sentir intenso,

estas escarpas e estas aves

e estas farpas que abrem

asas ao tempo.

Estão vivas estas ervas

que na secura do chão

atiram poemas ao ar

e vestem a fraga nua e dura

de cor, alegria e beijos

de longo e intenso verão..

 

Estão vivas as palavras

que se roçam aos lábios,

com gosto a amoras maduras,

as mais negras e plenas.

Estão vivas as águas do meu rio,

ora serenas, ora cheias de febre

e bravura, com ganas

de resvalar das alturas,

com ganas de estrelar

a noite escura..

Teresa Almeida Subtil
(in Rio de Infinitos/Riu d'Anfenitos)

16 comentários:

  1. "Stan bibas las augas de l miu riu"
    SIM! Estão bem vivas as águas do teu rio!

    «Correm tão revoltas as águas desse rio
    que as margens floridas devastaram
    e aquilo que as águas revoltaram
    anda no mundo á solta em desvario».

    Muito lindo o teu poema Teresa!
    Um dia lindo. Um abraço!

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde Teresa,
    Águas bem vivas do rio, que inspiram de forma sublime a Poeta nas palavras com sabor a amoras bem maduras.
    Um poema muito belo.
    Um beijinho e continuação de boa semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
  3. As águas do teu rio e as ervas estão vivas no teu olhar. Por isso as palavras te roçam os lábios com os sabores que mais gostas para que o poema se nos pegue à pele. Tão belo, Teresa!
    Cuida-te bem.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Que maravilha, querida Teresa!
    O rio faz parte da vida, amores e inspiração das gentes que o miram e admiram.
    Gosto especialmente dos teus poemas telúricos mirandeses que nos falam da vossa natureza pujante.
    Se não sabes, digo-te novamente: admiro muito a tua poesia.
    Beijinhos.
    ~~~
    Ps - Convido-te para uma pequena celebração do meu aniversário no 'A Vivenciar'... Amanhã...

    ResponderEliminar
  5. Olá, amiga Teresa, um belíssimo poema, do qual gostei muito de ler.
    Diria aos meus alunos, caso fosse professor de literatura, que essa obra poética deve servir para muitas leituras e muitos exercícios sobre poesia, para os alunos que querem iniciar-se na poesia,
    Meus parabéns, minha amiga poeta.
    Uma boa 5ª feira, com saúde.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. Um poema à natureza, onde o rio e a vegetação que o ladeia tomam uma dimensão que só os grandes poetas conseguem materializar em palavras como se fossem pintores.
    Excelente, o teu talento é enorme.
    Continuação de boa semana, querida amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. belo poema - pulsar de teu Ser poético que se alimenta dessas "pedras vivas" e do calor consensado na cor e do sabor das amoras
    mito belo

    beijo

    ResponderEliminar
  8. Vibrantes, de vida e emoções, estas poéticas águas... e muito bem harmonizadas, com uma incrível imagem!
    Deixarei dentro de mais alguns dias, no meu próximo post, um dos seus poemas, Teresa, com o respectivo link, aqui para o Perfume... se acaso, a tradução não estiver a contento, será só dizer-me que alterarei tão breve, quanto me for possível!
    Um beijinho! Continuação de uma feliz e inspirada semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  9. Com essa foto maravilhosa na abertura, li um belíssimo poema e sempre aplaudirei você, Teresa, pela maravilhosa poeta que você é.
    Tenho lido aqui muitos 'encantos', alguns para reflexões, outros para meu deleite.
    Uma feliz semana, querida amiga, com saúde e paz.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Gostei de reler.
    Bom fim de semana, amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  11. Cara poetisa Teresa
    Teu poema emociona!
    Como poeta, és a dona
    Da alma que é acesa
    Que busca a beleza
    Para compor tua arte
    Poética e ela reparte
    Conosco

    ResponderEliminar
  12. Muito belo Teresa!
    Enquanto jorrar das suas margens a rebeldia dos montes
    e a poesia escorrer das fragas, jamais a vida deixará de fluir livre e selvagem como o voo das águias!

    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  13. Querida poeta e amiga Teresa,
    a tua poesia é viva, como as águas desse rio.
    Em cada verso, em cada palavra, está a tua energia e talento.

    Grande e grato beijinho por este momento.

    ResponderEliminar
  14. Viva estás tu, Teresa, e de que maneira, em plena fase madura.
    Gostei muito.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  15. A Vida aqui em todo o seu esplendor a que a Língua
    Mirandesa empresta sabor e ritmo.
    Mais um Poema seu, querida Teresa, que nos faz ver o
    mundo sob um prisma de amor e harmonia.
    Um refrigério passar por aqui e ler tão belas
    palavras.
    Grata por estes momentos.
    Beijos
    Olinda

    ResponderEliminar

Voltarei!