O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

sábado, 4 de março de 2017

Minha fantasia


De flor matutina a rosa bravia,
de feixe à cabeça em qualquer esquina.
Terna fantasia. És ainda raio, recorte de lua,
perfume jasmim, trança de menina.
És verso do pomar com sabor a lima.
Janela indiscreta, incêndio do olhar.
E minha pele é tua sina.
E do horizonte a única linha é abraço inteiro,
canto marinheiro no fio do dia.
A palavra é tua. E de quem te ama.
E se encanto houvera em hora tardia,
da terra sairia poesia em chama.
Teresa Subtil

Miu delareio

De frol d´alba a rosa brabie,
de feixe a la cabeça an qualquiera squinica.
Ameroso delareio. Sós inda centeilha, cachico de lhuna,
perfume jasmin, trança de nina.
Sós berso de l maçanal cun sabor a lhima.
Jinela andiscreta, lhume de l mirar
La mie piel ye la tue sina.
I de l'hourizonte ua só lhinha ye abraço anteiro,
 canto marineiro ne l filo de l die.
La palabra ye tue. I de quien t'ama.
I se ancanto houbira an hora tardie,

de la tierra salirie, poesie an chama.

14 comentários:

  1. Apesar da fantasia, a realidade é que o teu poema é brilhante. Gostei imenso, pois claro, poesias em chama é contigo...
    Bom domingo e boa semana, amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. da "flor matutina" â "hora tardia" todos os sabores´
    ... e um "canto marinheiro" a incendiar o poema. e a pele.

    muito belo, Teresa

    beijo

    ResponderEliminar
  3. Esplendorosa e terna fantasia matutina
    a prever chamas em hora vespertina...
    Encanto de rosa bravia...
    ao chegar a hora tardia.

    Magnificamente bucólico!
    Gostei muito Teresa.
    Abraço.
    ~~~

    ResponderEliminar
  4. Pela primeira vez vi um texto da língua mirandesa.
    ~E Fantástico para promover a sua própria cultura .
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Um belíssimo poema na melhor tradição da lírica portuguesa. Tem música, tem ritmo, tem leveza.
    Uma boa semana, Teresa.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  6. O lirismo é todo teu. Mas o poema é tão bucólico que me lembraste a " menina " de Ary dos Santos . Essas águas te viram as tranças enfeitando teus cabelos . Essas ravinas a saudade de olhos tentadores . A suavidade é delírio musical , Teresa . Como me lembras a minha serra !
    Grande beijinho !

    ResponderEliminar
  7. Querida Teresa,

    Este teu poema e sempre a tua poesia são de uma
    beleza vinda da riqueza interior da poetisa,
    um universo que (en)canta com tua inspiração,
    a melodia poética evocadora de sentires...
    Aprecio sempre e sempre!...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Ontem passei por aqui e deixei um comentário que não o vejo publicado...
    Gostei muitíssimo do poema e da bilinguismo dos versos que ajuda a preservar tão importante cultura. Parabéns! Parabéns também pela passagem do Dia da Mulher. Abraço fraterno. Laerte.

    ResponderEliminar
  9. Olá Teresa.
    Li um comentário seu no blog da Suzete, e logo pensei tratar-se de uma poetisa. E acertei. Minha fantasia é um belíssimo poema. Parabéns. Espero voltar aqui mais vezes.
    Abraços.
    Pedro.

    ResponderEliminar
  10. Oi, Teresa, vim por indicação de Pedro Luso (marido) e li teu belo poema, escrita elegante. Parabéns, já lhe seguindo.
    Bjs!

    ResponderEliminar
  11. Gostei de reler o teu poema, até porque gostei ainda mais...
    Bom resto de semana, amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  12. Belos os teus dedos nas mãos que escrevem
    que não te doam

    Bj

    ResponderEliminar
  13. Excelente, Teresa, há amor a respirar em cada sílaba.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  14. Poema e imagem... de uma beleza incrível!
    Muitos parabéns, Teresa! Adorei tudo!!!
    Beijinho! Bom domingo!
    Ana

    ResponderEliminar