domingo, 22 de outubro de 2017

Olhos-seara



Olhos-seara quebrados em secura
Mãos de solidão e claridade
Odor do feno. Sensualidade
À solta na colina
Fogoso Verão
Que se prolonga
No sopro

Outono
Nas palavras
Que nos despem


Teresa Almeida Subtil




7 comentários:

  1. Olá, Teresa!
    Parabéns pelo teu "Olhos-seara". Um belo poema.
    Também gostei muito de conjunto musical. Excelente!
    Desejo que tenhas uma ótima semana.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderEliminar
  2. Também gostei muito, Teresa, é para ler e reler, ouvindo uma ótima música... Fechando o domingo com chave de ouro.
    Beijo, amiga.

    ResponderEliminar
  3. inebriante o perfume do feno - inebriante o perfume de teu poema.

    amáveis Outono(s) assim inspirador(es)

    (gostei do conjunto galego, que não conhecia)

    belo teu poema, Teresa

    ResponderEliminar
  4. Um poema magnífico, Teresa. Chegaram-me os odores do feno e senti o outono nessas tuas "palavras que nos despem"...
    Uma boa semana.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  5. O verão que fica no sopro da memória,
    com a nudez das palavras do Outono...

    Belíssimo, querida Teresa!!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  6. E este verão que nunca mais acaba...
    Belo poema, parabéns.
    Continuação de boa semana, amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. Um perfume, uma carícia, um aroma afrodisíaco, e tanta beleza, Teresa!
    Beijinho! :)

    ResponderEliminar

MULHER-MENINA