terça-feira, 3 de julho de 2018

MULHER-MENINA

                                 

Como se me abraçasses à primeira volta
Na cintura da tarde enrubescida
E pura lágrima se desprendesse.

Como se na mão me confiasses
Um astro vivo de emoção.

E se murmurasses
Silenciosa canção matutina
E em cada verso apurasses
Minha intimidade de mulher-menina.

E se de segredos fizesses
Beijos ao vento
Meu voo insustentável
E o azul das águias nos picões do espanto.

E se apenas revelasses
Um jogo no espaço
Infinito rodopio ao som da montanha.
Repasseado e grito. Fonte tremendo. 

Miranda querida
Mulher-Menina

Veio de água que meu canto
Estremece.

Teresa Almeida Subtil

https://www.facebook.com/carla.subtilrodrigues/videos/2231240856889991/UzpfSTEwMDAwMDgxNjk4ODM2MjoxNzM4NjY3M


Agradeço à minha filha a surpresa e o carinho deste vídeo.


25 comentários:

  1. Querida amiga,

    Poema belíssimo de encantamento, o encanto dos olhos
    da poeta, que deposita em encanto aos nossos olhos,
    com a leitura desta beleza cantada da tua luminosa cidade
    Miranda: "Mulher-Menina"!...
    "Como se me abraçasses à primeira volta
    Na cintura da tarde enrubescida
    E pura lágrima se desprendesse."

    Votos de feliz semana!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. das horas, nao sei.
    mas, tanto quanto sei
    o tempo que me cativou o olhar
    nunca mais será igual.
    mas sei que ao vir trazer 'Canção com Lágrimas',
    em lugar de um "canto de giestas", depara-se-me
    outro canto, oposto poema, nao da morte, mas da vida.
    valeu bem a pena, minha Amiga 'abrir' pelo meio, o poema.
    e dele fica-me a pureza pela cintura.
    "
    Veio de água que meu canto
    Estremece."

    um beijo

    ResponderEliminar
  3. Que bela poesia, amiga, para essa Mulher-Menina linda e formosa. Sei o tanto que nossas raízes cravam, e o tanto de amor que sentimos. E é um amor eterno.
    Te aplaudo!!
    Miranda querida
    Mulher-Menina

    Um beijo, amiga!

    ResponderEliminar
  4. Teresa,

    tão perfeita a identificação da poeta com a cidade - "mulher-menina" - que o leitor é levado, pela vibração do poema, a um permanente rodopio, no qual se fundem, na mesma respiração, todos os elementos significantes - corpo de mulher e corpo da paisagem são inevitavelmente a mesma "(id)entidade" -
    "jogo no espaço" ou "veio de água" a estremecer no canto.

    gostei muito. brilhante.

    beijo

    ResponderEliminar
  5. "Beijos ao vento"
    Que encanto de verso
    e que maravilha de viagem poética!
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar

  6. Dualidade perfeita, querida Teresa.
    Um dia hei-de ir a Miranda e provar desse "infinito rodopio ao som da montanha".
    Um video cujas imagens fazem jus à pureza das palavras.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Um poema brilhante, bem sublinha pelo belíssimo vídeo.
    Parabéns pela excelência do poema, gostei imenso.
    Amiga Teresa, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  8. Poema encantador, e o vídeo ficou lindíssimo, imagens bonitas. Uma grande viagem poética.
    Adorei Teresa!
    Bom fim de semana!
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  9. Conheço através de ti e dos teus escritos. Um duo perfeito.
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Olá Teresa querida


    Um lindo poema e o vídeo encantador, com um música delicada e gostosa de ouvir.


    Beijos
    Ani

    ResponderEliminar
  11. olá
    um poema exelente, gostei imenso
    bjs

    ResponderEliminar
  12. Consegue sempre que as palavras se ajustem ao esplendor da Natureza, como se toda a beleza se dilatasse no seu olhar… Adorei o vídeo que a sua filha lhe ofereceu.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  13. Teresa,

    Ah! Miranda, confesso-lhe o quanto este poema também contaminou o meu corpo. Confesso-lhe só para que Teresa saiba o quanto este "veio de água" enquanto poema também "me estremece". Miranda fica nos meus itinerários possíveis!

    Um forte abraço,

    ResponderEliminar
  14. Uma mulher será sempre uma menina com sonhos e objetivos definidos em crescente evolução. AbraçO

    ResponderEliminar

  15. Passei para ver as novidades.
    Mas gostei de reler o teu excelente poema.
    Amiga Teresa, continuação de boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  16. Os teus poemas são lindos
    E esse é maravilhoso!
    Mulher menina no gozo
    Dos novos, que são bem-vindos!

    Tuas figuras são maravilhosas - o vôo insustentável e o beijo ao vento... Parabéns, Teresa! Bom fim de semana! Grande abraço! Laerte.

    ResponderEliminar
  17. Olá, Teresa, é sempre um prazer visitar esse espaço, onde leio excelentes poemas de tua autoria, sempre muito bem construídos e com ótimos temas como este em que homenageias a tua cidade.
    Uma boa semana
    Beijo
    Pedro

    ResponderEliminar
  18. Boa noite Teresa!
    Passando pra ver se tinha novidades, e aproveitei pra reler teu poema.
    Ótima semana!
    Abraço grande!
    Escrevinhados da vida

    Tem nova atualização por lá.

    ResponderEliminar
  19. Personalizaste a tua mulher - menina com tal encanto , que conseguiste fazer- me esquecer o tempo poetico para acordar no enlace da beleza a tua poesia com a tua Natureza .
    Lindo o vídeo que tua filha te ofereceu , Teresa
    Beijinho e parabéns !

    ResponderEliminar
  20. Bom dia, para a mulher menina a homenagem do belo poema que é oferecido, é também merecido.
    Continuação de feliz semana,
    AG

    ResponderEliminar
  21. Mais uma vez reli o poema.
    E mais uma vez fiquei encantado com as tuas palavras.
    Amiga Teresa, continuação de uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  22. Maravilhoso poema, que tão bem ficou traduzido em imagem... nesta linda surpresa, proporcionada, pela sua filha, Teresa!... E uma magnifica homenagem, a essa apaixonante região... fonte de emoções, sustento da alma... e de infinitas inspirações...
    Belíssima e especial partilha, Teresa!
    Despeço-me com um beijinho, um forte abraço... e um até breve... pois vou ausentar-me da blogosfera, por algumas semanitas!...
    Tudo de bom!
    Ana

    ResponderEliminar
  23. Mais um belíssimo poema! Foi um prazer fazer o vídeo. Um dia destes faço outro. Beijinhos Mãe!

    ResponderEliminar

O comboio nunca partiu