quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

UMA TOCHA ACESA NA NOITE




Uma tocha acesa na noite
parecia dizer: entra amigo
Tinhas um dia cheio, eu sei
mas estás habituado a rasgar caminhos
e não hesitaste
num espaço de amizade entraste

entraste e nos olhos trazias
a força e a luz que eu precisava
porque sem ti amigo
uma tocha acesa na noite
não faria sentido

Senti que um dia bravo e agitado
no planalto, para mim nasceu
e ventos ciclónicos escureciam o céu
Mas nasciam rios de sorrisos
que desaguavam em mares de ondas bravas
num agreste nordeste, em abraços se espraiavam
calmas e seguras as palavras

Poesias e telas fizeram-se verdade
num encontro breve
de gente inteira que se sabe dar
como rosas em verão quente
em terra inóspita e gelada
que o amor escolheu
para nela se fazer luz e mar

Teresa Almeida 16-12-2011 

5 comentários:

  1. Amiga: já deixei comentário na waf...
    Reitero foto e poema lindísimos!
    Vê o meu post:

    http://portate-mal.blogspot.com/2011/12/evento-lancamento-da-obra-ousadia-de.html

    Bjos :)

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Odete.
    É sempre bom receber a visita de alguém que gosta de partilhar ideias e carinho.
    "... fica sempre um pouquinho de perfume nas mãos que oferecem rosas."
    Bjuzz

    ResponderEliminar
  3. Lindo este poema...
    " Poesias e telas fizeram-se verdade... "que o amor escolheu para nela se fazer luz e mar".
    Parabéns, amiga Teresa!
    Beijo
    Isa

    ResponderEliminar
  4. Obrigada amiga Isabel.Bem-vinda ao meu cantinho.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Uma maravilha este poema.
    Gosto muito do seu conteúdo.
    Cada vez mais se precisa de gente inteira que se sabe dar.
    Um poema de luz.
    brisas doces **

    ResponderEliminar

Fui d'abalada