sábado, 21 de setembro de 2019

Centelha Concupiscente


Na pele dos dias intromete-se a palavra
E a melodia que a embriaga.
Emerge pura na orvalheira
Como se feiticeira fora.
É terra, é povo, é dor e fantasia
Guelra efervescente.
E ao primeiro golpe de sol
Contorce-se, esgueira-se pela escarpa
E resvala em murmúrio de nascente.  
É centelha que ao poema se entrega
Concupiscente.

Teresa Almeida Subtil






10 comentários:

  1. As tuas centelhas radiosas, murmurosas, concupiscentes
    formaram um poema muito belo, que combina perfeitamente
    com a canção do Luís Represas. Parabéns pelo talento.
    Bom domingo.
    Beijinhos
    ~~~~~

    ResponderEliminar
  2. Aplausos para as tuas palavras, sempre tão críticas, quanto líricas.

    Beijos, querida Teresa!

    ResponderEliminar
  3. Já não escutava Represas há uns tempos. Gostei mto de voltar a ouvir "Feiticeira", que, se calhar há uns anos passou a ser "bruxinha-rs. Enfim, "mudam-se os tempos, mudam-se as vontades", os amores, acrescentaria eu.

    Bom domingo e melhor semana.

    ResponderEliminar
  4. É na tua pele que se entranham as palavras que o poema nos diz como se fosses feiticeira de um dizer que é, ao mesmo tempo, melodia e entrega. Tão belo!
    É sempre bom ouvir o Represas.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. o "feitiço" da palavra poética, que ti ministras com raro talento!
    como se as "nascentes" fossem a matéria onde o canto nasce,

    gostei muito, Teresa

    beijos

    ResponderEliminar
  6. "É terra, é povo, é dor e fantasia
    Guelra efervescente."

    Que lindo poema, querida Teresa, aplausos!
    Uma ótima semana!

    ResponderEliminar
  7. Olá, Teresa!
    Um fecho brilhante para este teu canto:

    "É centelha que ao poema se entrega
    Concupiscente."

    Gostei muito querida amiga. Parabéns!
    Votos de uma semana de alegria e paz, Teresa.
    Um beijo.
    Pedro

    ResponderEliminar
  8. Querida Teresa

    Esta "Centelha Concupiscente" esgueira-se, intromete-se em tudo, cria movimento e vida. Sentimo-la em cada centímetro das escarpas e em cada raio de Sol.

    Poesia pura! Adorei minha amiga.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  9. Lindo! E a música também!Chuacs da filha mais velha :)

    ResponderEliminar

RONDA LAS DEGAS/ RONDA DAS ADEGAS