terça-feira, 17 de novembro de 2020

Uns e outros

 


Fundação Dionísio Pinheiro e Alice Cardoso Pinheiro

18 de setembro  ·

!DE CANETA EM RISTE CONTRA O VÍRUS!

Partilhamos a obra enviada pela Autora Maria Teresa Subtil.

 

Uns e outros


Cumpri.

Saboreei a casa dia a dia

E o jardim em cada pétala.

Li muito sobre pandemia

Atordoada, desisti.

 

E desisti

De te encontrar no café, na rua, na tertúlia.

Embotada pela nostalgia

Escrever pouco consegui.

 

Será que

O universo nos faz reavaliar

A vida stressada que levamos

E os desmandos no planeta azul?

 

E mudamos uns e outros

E como sempre de modo diferente

O trabalho, o pão, o teto, a educação …

 

Subimos ou descemos?

Refugiei-me na leitura e meus netos

Minha aventura permanente.

Sentindo saudade

De rostos abertos à liberdade.

 

Refugio-me, ainda,

Na saborosa intimidade

Que a vida consente 

De nos sermos presente.


Teresa Almeida Subtil 

Este projecto tem a parceria com a MODOCROMIA, Edições, Lda -

Maria Ester

20 comentários:

  1. gostei especialmente dos versos finais! é preciso que saibamos, antes de tudo, "sermos presente". nosso tempo é quando! um beijo, Teresa.

    ResponderEliminar
  2. Querida Teresa.
    Gostei muito deste teu poema intimista, de género epistolar, escrito de caneta em riste.
    Precisamos realmente de ânimo... E muito, para não soçobrarmos de piedade...
    Um projeto corajoso com a tua participação bem marcante.
    Tudo pelo melhor. Beijinho
    ~~~~~~

    ResponderEliminar
  3. A actualidade está inteira no teu maravilhoso poema . Tudo nos é roubado e o silêncio , tão precioso para nos encontrarmos , traz com ele o peso surdo da solidão .
    Sorte a tua de usufruires da companhia de teus pequeninos
    Beijinho grande, Teresa

    ResponderEliminar
  4. Estamos ansiosos que isto passe para voltarmos ao mesmo, isto é, nada vai mudar nos maus hábitos do nosso comportamento. Digo eu, que não tenho a certeza, mas quase...
    Um poema excelente, os meus aplausos.
    Continuação de boa semana, querida amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. um poema com tua marca de talento e generosidade
    uma participação que te honra~, Teresa.
    seja qual for o resultado da competição,
    que desejo muto ganhes.

    beijo. minha amiga

    ResponderEliminar
  6. Pertinente, a interrogação, como que a querer descobrir os desígnios dum futuro que ninguém deseja. Contudo, realça-se o fundamental: a vida sem o aconchego do abraço nunca á por inteiro, é eterna promessa adiada.
    Sempre bom ler-te.
    Um beijinho, Teresa :)

    ResponderEliminar
  7. Bom dia, querida Teresa

    De "pena em riste", envia-nos a sua forma de ver o mundo, criando uma Poesia em que vemos a realidade mas também a capacidade de se valorizarem os afectos. Neles reconstroem-se as forças, esperando e pugnando por um mundo melhor.

    Procurei a Fundação e gostei muito dos objectivos que a norteiam em prol da Cultura.

    Bom Domingo.

    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
  8. "Somos presente". Não podemos esquecer isso nunca. Gostei imenso do poema com que participaste nesse "de pena em riste". Sempre excelente, minha Amiga Teresa.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  9. Uma participação louvável. A realidade habita seus versos que além de abordarem a ausência de liberdade, um silêncio estranho, uma ausência de perspectivas, colocou em evidência um sentir que todos nós abraçamos. Gostei muito, como sempre! Bjs.

    ResponderEliminar
  10. Que restará destes tempos de medo e inconsistência?
    Todas as memórias apagar-se-ão na voragem do esquecimento, deixando para trás os desejos de algo mudar nos nossos comportamentos.
    Tudo muda. Só espero que para melhor.
    Mas fica este belo Poema "Uns e outros", como habitamos o mundo interior dum mundo em convulsão.
    Uma participação que honra a Poeta.
    Gostei muito, querida amiga, Teresa.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  11. Bom dia de serenidade, querida amiga Teresa!
    Já tinha lido aqui e até pensei ter já comentado.
    Poetar faz catarse no ser humano, feliz de quem, como você, consegue uma poesia forte e pura.
    Tenha dias abençoados
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
  12. Boa noite querida Teresa,
    De fato , a poesia é mesmo catarse, nesse tempo louco de grandes incertezas e inúmeras mudanças acontecendo em nossas vidas, fico a pensar o que será de todos nós, ainda assim nos resta poesia como cura das nossas angústias.
    Lindos versos.

    Bjs e boa noite.

    ResponderEliminar
  13. PARABÉNS!
    Um excelente poema.
    Tudo está mudando em nossa vida! Não sei se é o universo o motor dessa mudança, da qual a pandemia é a face mais visível mas que vivemos um novo tempo, disso já não existem grandes dúvidas.
    Acho que compreendemos finalmente a intangível absoluta e perfeita arquitectura da vida e que a morte é o mais privado de todos os encontros!

    Um dia lindo, apesar da chuva.
    Um beijo, amiga Teresa!

    ResponderEliminar
  14. Passei hoje para ver as novidades, porque amanhã não posso atravessar as fronteiras dos concelhos que nos separam...
    E gostei de reler este excelente poema.
    Bom fim de semana, querida amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  15. Não podemos perder um ano de nossas vidas... digo eu que acabo por sentir um pouco do que transmites nas tuas belas palavras.

    Entendo a falta de inspiração, continuo com dificuldade em escrever, mas a verdade é que há tanto para aproveitar dentro de portas.

    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  16. Parafraseando Camões, mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. Mas José Mário Branco, que muito bem o cantou, hiperbalizou-lhe a esperança. E assim, sujeitos aos novos tempos, nos desafiamos a acrescentar-lhes os condimentos necessários a ter fé, acreditar, tentando semear novas formas de estar, de ser...

    Um grande abraço, Teresa :)

    ResponderEliminar
  17. Formidável participação, que tão bem traduziu esta estranha fase, que o mundo atravessa, e que nos faz sentir estranhos... até nos nossos lugares de sempre!...
    Parabéns, Teresa! Um beijinho!
    Ana

    ResponderEliminar

Cativa-me