domingo, 16 de maio de 2021

Diz-me ...




 Diz-me que vieste primeiro

Que a madrugada que trago

E mais veloz que o pensamento

Que te persegue.

Diz-me que derrapaste no sonho

E vieste na bruma da ansiedade.

Diz-me que inventaste a melodia

Ou que ajustaste o desejo

À rebeldia

Dos botões de Maio.

 

Diz-me que há pardais sem idade

Que voam até perderem

Os picões, os ribeiros e as cachoeiras.

Diz-me que teus lábios trazem

Palavras feiticeiras

O mel das arribas

E o braseiro da tarde.

Diz-me …


Teresa Almeida subtil


11 comentários:

  1. Poema fascinante de se ler!
    Adorei a musica. Obrigada pela partilha!!
    -
    É preciso acreditar, para vencer
    -
    Beijos e um excelente Domingo.

    ResponderEliminar
  2. Poema poderoso, Intenso, sublime. Li e reli, completamente fascinado. Diz-me... Não digo, lol
    .
    Abraço fraterno.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  3. Diz_me quão belo é este olhar, o som que acompanha e a poesia que o embeleza!!! Bj

    ResponderEliminar
  4. E dirá, tenho a certeza. Porque ninguém fica indiferente a um pedido assim tão cheio de amor e tão incendiado pela Natureza.
    Que belo poema, minha Amiga Teresa!
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Muito belo Teresa!
    Como não dizer?
    Quando o poema é um amanhecer
    radioso de luz e alegria,
    que despertam promessas de amor
    dum novo dia??

    Um bom fim de semana!
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  6. Maravilha, querida Teresa! Sou só aplausos para esse belo poema!
    Uma feliz semana pra você.
    Um beijo.

    "Diz-me que vieste primeiro
    Que a madrugada que trago
    E mais veloz que o pensamento
    Que te persegue."

    ResponderEliminar
  7. Palavras lindas e apelativas neste poema cheio de vitalidade.
    É a própria vida que aqui se desponta e convida a esse
    sentimento maravilhoso que é o Amor, repleto de cumplicidade.

    "Je reviens te chercher", música que tão bem se enquadra no
    perfume destes versos.

    Beijos
    Olinda

    ResponderEliminar
  8. Um "Diz-me" perpetuante, que teima em não fazer esquecer a poesia que nos habita e nos rodeia...
    Lindo, Teresa!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  9. Hoje rodei todo o seu blog para achar como segui-la passo a passo, risos. E achei. Na verdade, fui impaciente da primeira vez. E faz tempo que fiz tal investida que saí achando que não podia fazê-lo. Achei que não estava aberto. Pronto. Não perderei em tempo real as próximas publicações, risos!
    Digo-lhe, sim. O poema é envolvente, com uma musicalidade e um lirismo cativantes. Gosto deste despojamento que nos faz chegar às suas raízes. Muito gratificante ler-te, minha amiga!
    Ah, bela conjugação com as notas do piano.
    Um beijo, minha amiga Teresa!

    ResponderEliminar
  10. Diz-se... por aqui, da excelência de tal publicação...
    Para ficar apreciando e reapreciando!...
    Do tema musical, ao brilhante poema, culminado na deslumbrante imagem...
    Tudo uma verdadeira maravilha, Teresa! Ai, digo... digo!!! :-)
    Um beijinho
    Ana

    ResponderEliminar

Cativa-me