sexta-feira, 19 de abril de 2019

Tempo Pascal



Trouxe-te um ramo de lírios e deixo-os à entrada de casa.
Como quem deseja harmonia.
A Páscoa traz em si uma pulsão libertadora.
O tempo vai crescendo e a natureza rejuvenesce a cada dia.
A Páscoa é, para mim, um povo aberto à alegria,
E os sinos a repicar aleluias. As janelas, as ruas e as pessoas
Vestidas de pétalas silvestres. Era assim que eu sentia.
Não quero perdê-las - as pétalas - e teus olhos aveludados.
Ficávamos muito macios!
Era autêntico o carinho que nos trespassava. Não quero perdê-lo.
Não quero perder o sorriso com sabor a infância.
Estou a vê-lo no beijo que hoje me deste, meu amor.
"Bom dia, avó!"
Foi assim que me disseram a vidal

Que assim seja todo o ano e depois de mim.
Que o planeta seja sempre azul! 


Grata por estarem comigo.
Feliz Páscoa!

Teresa Almeida Subtil





Feliz Páscoa, amigos!

10 comentários:

  1. Olá, Teresa!
    Aqui aparece bem (mais uma vez) o talento da poetisa no seu canto em homenagem à Páscoa com as doces lembranças da infância. Um belo poema, Teresa, parabéns!
    Meus votos, querida amiga Teresa, de uma Feliz Páscoa.
    Um beijo.
    Pedro

    ResponderEliminar
  2. Meu Deus! Até me arrepio, Teresa. Diz-se que não há coincidências mas que as há, há. Páscoa, avó, infância. As recordações. Que mais dizer? Apenas que mergulhar no perfume desse ramo de lírios e na doçura das suas palavras é um privilégio.

    Que tenha chegado bem e que a sua Páscoa seja repleta de muita alegria.

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  3. Tocante, vovó!
    Tenho algo especial para si no A Vivenciar.
    Tudo bom, Teresa.
    Terno abraço.
    ~~~

    ResponderEliminar
  4. Uma publicação maravilhosa, que nos remete, para as doces memórias da infância!...
    Gostei imenso, Teresa! Deixo um beijinho e os meus votos de uma Santa e Feliz Páscoa, para si e todos os seus, Teresa!
    Tudo de bom!
    Ana

    ResponderEliminar
  5. Um lindo poema onde se deseja a renovação da vida, pois a Páscoa náo é mais do que a celebração da primavera, do renascer da fauna e flora. Uma festa judaico-cristã veio substituir uns ritos pagãos de transição.
    Não festejo a Páscoa, mas desejo-lhe bom fim de semana, na companhia dos seus.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  6. "A Páscoa é, para mim, um povo aberto à alegria,
    E os sinos a repicar aleluias. As janelas, as ruas e as pessoas
    Vestidas de pétalas silvestres."
    Que maravilha de poema, minha Amiga Teresa!
    Ouvir Leonard Cohen é sempre um gosto enorme.
    Desejo que a sua Páscoa tenha sido excelente.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  7. Um Cântico da Páscoa muito bonito, Teresa.

    "Não quero perder o sorriso com sabor a infância..."

    e assim será certamente - apesar de tudo, é bom perservar
    uma certa reserva de inocência.

    gostei muito

    beijo, minha amiga

    ResponderEliminar
  8. Ainda estou a meditar nas palavras lindas que li!

    Obrigada pela leveza do momento!

    ResponderEliminar
  9. Quanta delicadeza neste poema, Teresa! E que tudo seja assim como ternura de moça rolando sobre o capim...
    Um beijo, Teresa!

    ResponderEliminar

Voltarei!