segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Ye segredo



É segredo

ser cachoeira, espírito independente e livre
sorver das águas o brilho e a sedução,
tocar o equilíbrio e a confiança
dos penedos ásperos e austeros´
ameias do templo, esteios do berço,
e agarrar dos céus o voo
suavidade e melodia do tempo
em mim.

Teresa Almeida Subtil


Nenhuma descrição de foto disponível.

11 comentários:

  1. O teu segredo, minha Amiga Teresa é "tocar o equilíbrio e a confiança dos penedos ásperos e austeros". Tenho a certeza que te dá força e paz… Tão belo, o poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. grandioso (apetecia-me dizer soberbo) este teu belíssimo
    poema, Teresa. ser assim "cachoeira" não está ao alcance de todos/as.

    e como não se consegue "roubar" o "fogo dos deuses"
    agarremos "dos céus o voo", por entre "penedos ásperos e austeros" . e o murmúrio do Douro em fundo.

    parabéns. forte aplauso
    e "arrotchado" abraço

    ResponderEliminar
  3. Maravilha em estado puro... esta sede de vida e energia, que brota em cada uma das suas palavras, Teresa!...
    Adorei cada palavra... e ficarei com este seu segredo debaixo de olho... para qualquer dia o destacar, por lá no meu canto, se não se importar...
    Beijinhos! Desejando-lhe a continuação de uma feliz e inspirada semana!...
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Terei todo o prazer, minha querida Ana. É mesmo uma honra.

      Terno abraço.

      Eliminar
  4. Olá, Teresa!

    Gostei muito do seu “É segredo”, um belo poema.
    Penso que a poetisa canta a aspiração de uma vida sem amarras, que, em muitas culturas, deste ou daquele país, fazem-se presentes, com a falsa aparência de virtudes.

    Uma boa semana, minha amiga Teresa.
    Beijo.
    Pedro

    ResponderEliminar
  5. A geografia transmontana sempre tão presente nos teus versos...!
    Dá gosto ler-te, Teresa.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  6. Querida Teresa

    Poema mavioso. Sente-se a melodia das palavras, música bela
    que ressalta de cada verso. Um segredo que vem da sua sensibilidade e entrevemos através do seu talento.

    Adorei, minha amiga.

    Muito obrigada pelas palavras lá no Xaile. Sim, fui ver e no fim do Rio de Infinitos encontrei mais elementos biográficos seus. :)

    Beijinhos

    Olinda

    ResponderEliminar
  7. Mais um belo voo
    nas suas mãos
    a dardejar

    Bj

    ResponderEliminar
  8. Tão livre, genuína e livre és tu e a tua poesia! A Foto/imagem está a condizer com as tuas palavras.

    Amanhã, o meu blogue fará cinco anos. Será um prazer "ver-te" por lá. Obrigada!

    Beijos e um grande abraço.

    ResponderEliminar
  9. Muito belo...
    Correm-lhe nas veias os elementos terrestres da sua região
    e os seus amplos espaços visíves e livres...
    Gostei muito de ler.
    Òtima semana, querida Teresa.
    Beijinhos
    ~~~~~

    ResponderEliminar

Voltarei!