quarta-feira, 29 de janeiro de 2020




"Pathétique"


Talvez como quem justifica a dor da ausência
mandaste-me Tchaikovsky como embaixador.
 Interpretei os silêncios  da sinfonia (era a 6º )
 como quem se prepara e espera do amor
uma avalanche de emoções. Depois sentia-as fluir,
por antecipação, deslizando na amargura,
na saudade, na ânsia. O rosto molhado
 e o olhar entranhado na apoteose de toadas finais.
Porém, quando a melodia hesita
e treme nas íntimas fímbrias do meu peito,
quero adivinhar novos acordes - sinfonias de euforia.

E foi assim, nesta manhã estremunhada e opaca,
que Tchaikovsky ocultou as estrelas que nos adormeceram
e a orquestra tocou - demoradamente - só para nós!


“Pathétique"

Talbeç cumo quien justefica l delor de la falta
mandeste-me Tchaikobsky cumo ambaixador
Anterpretei ls siléncios de la cinfonie (era la 6ª)
cumo quien se porpara i spera de l amor
muntones d'eimoçones. Apuis senti-le antes l’ antrada,
sgobiando-se na amargura,
na soudade, na gana. L rostro molhado i l mirar antranhado
no ancarrapitar de tonadas finales.
Mas, quando la melodie heisita
i tembra nas íntemas benas de l miu peito,
quiero adebinar nuobos acordes - cinfonies d’alegrie.

I fui assi, nesta manhana stremunhada i scurica,
que Tchaikobsky scundiu las streilhas que mos adrumecírun
i l'ourquestra tocou, demoradamente.
Só para nós!

Teresa Almeida Subtil

(in Rio de Infinitos/ Riu d'Anfenitos)




14 comentários:

  1. Uma "Patética" muito bem executada!
    excelente maestrina.

    Parabéns, Teresa. por tão belo poema

    beijos.

    ResponderEliminar
  2. Querida Teresa.
    O poema ficou muito belo, no despoletar de uma avalanche
    de sentimentos e emoções.
    Os meus aplausos.
    Beijnhos
    ~~~~

    ResponderEliminar
  3. Um poema muito bem orquestrado, que é como quem diz, excelente.
    Os meus aplausos, de pé e demorados.
    Teresa, um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar

  4. Querida Teresa

    Belo poema, a dor da ausência, da saudade.
    Um grande compositor com a sua bela música, como embaixador.
    E o amor que se adivinha.

    Tudo muito bem compassado.
    Lindas e emotivas palavras.

    Beijos

    Olinda

    ResponderEliminar
  5. Olá, Teresa!

    Gostei muito deste teu belíssimo poema, inspiração e homenagem a Tchaikovsky e à imortal "Pathétique". Bravo!

    Uma ótima semana, querida amiga Teresa.
    Beijo.
    Pedro

    ResponderEliminar
  6. Brilhante, esta sinfonia poética, Teresa, de cariz apaixonante... em total sintonia com a peça musical mencionada!
    Adorei cada palavra! Um beijinho grande! Feliz domingo!
    Ana

    ResponderEliminar
  7. Ouvir Tchaikovsky e ler as tuas palavras tão inspiradas "como quem se prepara e espera do amor uma avalanche de emoções" Belíssimo, Teresa!
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. Muito belo texto, Teresa, apaixonado tal qual a inspiração que invadiu Pyotr Ilyich quando escreveu essa sua última sinfonia. Sim, ela é extremamente romântica, com explosões de paixão e fúria, mas também com grande lirismo, como o segundo tema do segundo movimento (o que mais aprecio nessa obra). O teu poema não poderia ter sido mais fiel, mais oportuno. Bravo, querida amiga, um beijo!

    ResponderEliminar
  9. Voltei a ler...
    A emoção da música excelentemente poetizada...

    Dias leves, serenos e bem vividos.
    Abraços, querida amiga.
    ~~~~

    ResponderEliminar
  10. Gostei de reler.
    E acho que gostei ainda mais.
    Querida amiga Teresa, um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  11. No cinza deste dia, procurei o perfume do verso que percorre o teu "RIO de INFINITOS". Além dos teus aromas ouço, vinda do fundo de ti, a música- que nunca é triste por ser a linguagem dos Anjos-num poema fantasticamente belo onde a nostalgia completa o belo de uma alma poética como a tua.
    Lindo, apaixonante, querida Teresa!
    Grande abraço de saudades

    ResponderEliminar
  12. Que bela inspiração que nos faz sentir a musica e sonhar!
    Escrever assim sobre uma musica é realmente qualquer coisa!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. A tua composição
    Faz a canção mais bonita!
    A poesia é bem-dita
    E diviniza a canção!

    As duas artes estão
    Na dimensão infinita.
    Uma arte a outra imita
    Em harmonização!

    Parabéns pelo talento
    Em juntar um elemento
    Ao outro, harmonicamente!

    A música é o advento
    Do divino e tem assento
    Num poema que se sente!

    Grande abraço! Laerte.

    ResponderEliminar

Voltarei!