terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Enviei-te flores do campo


Enviei-te flores do campo

Da frescura da minha terra

Sente a vida à tua espera

Sem dor e sem clausura

Foge poeta

E em cada fuga

Segura a aurora e teu mirar

De horizonte.

 

Volta ao mar, ao rio e à fonte.

Segue o fio da inspiração.

E ainda que sofrido e magoado, volta!

Volta e colhe serenidade

Entre a agitação.

 

Volta ao ninho

E à ousadia do caminho.

Convoca as estrelas.

E do universo a harmonia.

 

É tempo de pandemia aguda.

E de espanto em espanto

Enviei-te flores do campo

Agrestes e miúdas.

 

Ainda que fustigadas ao vento e à chuva

Crescem e resplandecem

Em mãos de ternura.

 

Teresa Almeida Subtil










 

21 comentários:

  1. Poema lindíssimo sobre as flores do campo, e a oferta que possa surgir, ao coração.
    .
    Abraço. Um dia feliz.
    Cuide-se
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  2. Um poema encantador embelezado e perfumado pelas flores do campo! Amei :)
    -
    Beijos e uma excelente noite

    ResponderEliminar
  3. Convocar as estrelas e a harmonia do Universo. Ter um Amigo a quem se enviam flores e se dizem palavras de esperança. Tão bonito este teu gesto. Tão belas as tuas palavras. O aroma das tuas flores chegou até aqui.
    Cuida-te bem, minha Amiga.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde Teresa,
    Uma poema muito belo com aroma de flores silvestres ofertadas em gestos ternos e de amor fraterno.
    Há como que um chamamento às raízes de quem anda disperso e tem um mundo tão belo à sua espera.
    Um beijinho e muita saúde.
    Ailime

    ResponderEliminar
  5. A magia de um gesto e de um chamado para a luz, para um retorno ao encantamento, por vezes disperso . Tão lindo!!! Bjs.

    ResponderEliminar
  6. Apesar da chuva que ainda cai, fugi pela janela do meu pensamento e mergulhei nas tuas flores, e na ternura das tuas mãos que as colhe.
    Pudera fugir das agitações e cair na simplicidade dos campos e na harmonia dos troncos despidos à espera do tempo.
    Tão belo, Teresa!
    Um abraço para ti, amiga.

    ResponderEliminar
  7. Poema belo, com um apelo carinhoso e dedicado.
    Adorei a sensibilidade das suas palavras, minha
    querida Teresa. Também me associo a elas e que
    todos os que têm talento para escrever continuem
    a alimentar-nos o espírito.
    É quase uma obrigação :)

    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
  8. os deuses da poesia devem ter ficado sensibilizados com este poema tão belo, como expressivo.
    para o regresso a outros tempos, nessa fuga ao presente, não poderiam faltar os aromas duma natureza apelativa, simples e bela.
    a mim chegaram as mais singelas flores que a poeta quis oferecer.
    um beijo, amiga Teresa. Cuide-se p.f.

    ResponderEliminar
  9. Maravilhoso Poema Teresa!
    Mesmo fustigadas, as flores não perdem o aroma!
    Saberão cumprir o seu destino...

    Neste triste entardecer de domingo, que bom foi ler tão deliciosos versos! Beijos!

    ResponderEliminar
  10. Belíssimo poema!
    Apetece-me convocar a estrelas e todo o reino celestial, apetece-me convocar a Luz Divina para se faça luz na Terra!
    O que nos vale mesmo são as flores da terra e a ternura de alguns!

    Beijinho Teresa, grata por este poema lindo!

    ResponderEliminar
  11. Que lindíssimo momento poético, Teresa!
    Adorei a força das suas palavras, que nos relativizam as agruras... afinal as flores do campo... passam por tantas... e sempre florescem resilientes, logo após o término das estações mais duras...
    Aprendamos com elas!... Adorei cada palavra!
    Beijinhos! Votos de uma excelente semana, estimando que tudo esteja bem, aí desse lado!
    Ana

    ResponderEliminar
  12. bonito o teu poema, Teresa. e bom para trazer algum conforto, em meio aos tempos em que vivemos, através da delicadeza das tuas palavras. um beijo!

    ResponderEliminar
  13. Tanta sensibilidade, tanta alma... O ser humano perante a natureza consegue, por vezes atingir um certo deslumbre... hoje, aqui e agora, deslumbrado fiquei ao ler o seu poema. Obrigado

    Um abraço e boa inspiração

    ResponderEliminar
  14. Muito bonito!

    Que ao menos as flores do campo nos perfumem os corações nestes tempos tão ingratos.

    Vim, com Xaile de Seda, espreitar a sua poesia :)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  15. Espantas-me sempre.
    Cada poema teu é uma massagens aos sentidos, já que as sensações que despertam são tão agradáveis como estas tuas flores do campo.
    Bom fim de semana, querida amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  16. Qualquer oferenda diz muito, e tu sabes muito bem disso. Para ti, conhecedora dos ventos do planalto, que as flores resplandeçam até nos mais recônditos lugares.

    Um abraço de muita amizade :)

    ResponderEliminar
  17. A música é excelente para acalmar da agitação e as flores do campo, silvestres e singelas, são pela sua simplicidade das mais belas.
    Abraço poético.
    Juvenal Nunes

    ResponderEliminar
  18. Querida amiga, agradeço a leitura do belo poema...

    Mais do que nunca, a poesia e a música são indispensáveis.

    Dias de paz e resiliência. Beijinho
    ~~~~~~~

    ResponderEliminar
  19. Como disse a amiga Graça, o perfume atravessou o oceano. É sempre bom ler a delicadeza dos teus versos, linguagem tão depurada para nos lembrar que, mesmo em momento tão difíceis, mais que possível, é necessário semear o amor.
    Um beijo, minha amiga!

    ResponderEliminar

Voltarei!