domingo, 21 de fevereiro de 2021

Leva-me ao rio!

 



Em campos alagados canta o rio

Riacho que seja

E como é alegre e vivo o seu leito

E o jeito de amar

A pedra que o sobressalta

E o faz cachoeira.


E nós seguimos a rodeira da vida

De pés molhadas e alma florida

E lado a lado

Cada passo é um louvor.


Leva-me ao rio, meu amor! 


Teresa Almeida Subtil




18 comentários:

  1. Fotos e poema muito bonitos. A conjugação poética perfeita.
    .
    Saudação poética.
    Domingo feliz
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
  2. Vou descalça passear pelo teu rio que aceito como uma dádiva da Natureza. Lindíssimo poema, minha Amiga Teresa.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito da publicação!:))
    -
    Existem sonhos por realizar ...
    -
    Beijo e um excelente Domingo. Fique em casa.

    ResponderEliminar
  4. Que lindo e belo poema!
    Como é bom caminharmos juntos com amor e de alma alegre!

    Beijinho e bom domingo!

    ResponderEliminar
  5. Convite irrecusável, querida Teresa. Caminhar à beira-rio, pés molhados e alma florida. Vestimenta a preceito. E o rio ou riacho a acompanhar com o seu canto a fazer-se maior, mais e mais.
    A canção, "esta é a história de um amor, como não há outra igual" . Inesquecível.

    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
  6. Da água se fez vida, grande e plena, e o seu caminho, por graça, se engalanou. Assim o canta a poetisa, mestre mirandesa de cerimónias muitas, (quase) todas elas em natural cenário. E eu aplaudo.

    Um beijinho, Teresa :)

    ResponderEliminar
  7. Quem resiste em caminhar nessas águas cristalinas por entre a verdura das folhas e a maravilhosa melodia da água correndo entre as pedras? Ah! Afinal o paraíso existe!
    Muy belo o teu poema Teresa.

    Feliz noite. Grande abraço!

    ResponderEliminar
  8. Não aprecio caminhar junto a rios ou similares, mas tenho de reconhecer que é um ato belo.
    Este poema é todo amoroso e subtil como tu.
    Que tu e o "teu amor" tenham ouvido e visto cachoeiras.

    Beijos, querida Teresa!

    ResponderEliminar
  9. Mirais o Douro serrano e a sua beleza e força indómita, sem dúvida, exerce influência sobre vós...

    Passear nas margens ribeirinhas é sempre um prazer... Belo poema, amiga Teresa.

    Saúde e dias bons em prenúncio de primavera... Beijinhos
    ~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  10. O rio, principalmente para quem mora perto dele, é sempre uma referência. E este magnífico poema é muito bom, gostei imenso.
    Bom fim de semana, querida amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  11. Assim também caminho por sobre as águas

    ResponderEliminar
  12. De encantar a alma... Gostei muito deste rio tão apaixonante. É tão bom chegar a este seu espaço e ter oportunidade de sorrir ao ter acesso a este momento poético tão especial.

    Acabo por repetir-me um pouco quando digo que tenho a sorte de estar rodeado por pessoas com uma arte tão especial para a poesia.

    Um beijo e votos de uma semana inspirada

    ResponderEliminar
  13. Teresa,
    Vim retribuir a visita e o abraço .
    Vi-me descalça nesse rio, florida, com o amor ao meu lado...
    Adoro ouvir Stjepan Hauser e aqui, o seu toque ainda ficou mais belo.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  14. Enquanto ouvia a música que ofereces, percorri o teu rio imaginando.me no meu. Cascatas e pedras verdes, libelinhas e miosótis selvagens, pés na contra corrente que saía da roda do moinho. Depois, depois as margens com catedrais de aromas, anastesiando os outros sentidos.
    Tanta maravilha, minha querida AMIGA!
    Abração

    ResponderEliminar
  15. Gostei de reler este excelente poema.
    Aproveito para te desejar um bom fim de semana, querida amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  16. No rio se faz vida,
    no rio se baptiza,
    no rio se fecunda...

    Gostei muito de mergulhar na águas frias do rio, Teresa.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  17. Rebatizado nas águas do teu rio, Teresa! Com convite tão amoroso, já sabemos que os olhos do amado não esquecem dos teus. Antes, deixe-me também banhar os meus pés nas águas desse rio tão amado!
    Um beijo, minha amiga!

    ResponderEliminar
  18. Água é vida... e foi vida e paixão, que emanou deste inspirador poema, ultra bem acompanhado por uma linda imagem e pelo imenso talento de Hauser, que muito aprecio!
    Mais uma publicação de excelência, por aqui, Teresa!
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar

Voltarei!