O poema só nasce onde quer
Como um pé de fiolho,
é pura emoção selvagem ...

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

De passagem

Se o caminho é traço
à altura da emoção,
ressurge, inesperadamente,
e qualquer passo
pode ser emergente humildade do olhar.
Só aí é que lhe medimos a intensidade
e percebemos a incisão grave num desenho
por acabar. E a humidade
é sentimento que assalta a viagem
e vai escrevendo percursos de imaginação.
Estamos de passagem
e nem sempre temos coragem
nem arte para pintar a festa
onde baila o coração.

Teresa Almeida Subtil

9 comentários:

  1. perfeito poema!
    com o caminho (de leitura) percorrer a emoção.
    e o alvoroço dos sentidos

    e certamente com arte a celebração
    e a festa da chegada.

    gostei muito, Teresa

    beijo

    ResponderEliminar
  2. "A festa onde baila o coração"... Maravilhoso, Teresa! É essa coragem de escolher o direito de sonhar e tentar vencer, nesta passagem que nos cabe...
    Muito belo, o poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Merece uma grande paragem para reflectir, Teresa.
    Olha...mas talvez não páre. Prefiro levar comigo, saborear , "levar a festa " no coração e, pelo caminho, escolherei a direcção para onde me leva coração.
    Grande poema!
    Beijinho! :)

    ResponderEliminar
  4. Há que percorrer os caminhos, ainda que efémeros, mas é bom que saibamos "pintar a festa onde baila o coração".
    Excelente poema, gostei imenso.
    Teresa, continuação de boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. Se pudesse "roubar" só um punhado de versos, levaria estes:
    "Estamos de passagem
    e nem sempre temos coragem
    nem arte para pintar a festa
    onde baila o coração."

    A vida, esse coração em festa!

    Beijo

    Lídia

    ResponderEliminar
  6. À medida que se vai caminhando e se começa a pressentir que um dia a estrada terá fim, torna-se mais difícil pintar festa, pois o coração começa a bailar mais devagar...
    Essa sensação de finitude, pode tornar penoso o nosso caminhar.
    Há que ter sabedoria, para todos os dias pintar o caminho com a cor do sonho...
    Tão belos e reflexivos, são estes teus passos querida Teresa...
    Amei o teu Poema.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. De passagem mas em festa
    o seu poema pintado com palavras muito belas
    sentidas e lúcidas
    Bj

    ResponderEliminar
  8. As amarras do tempo, sempre, embora, no caso, o vislumbre fosse suficiente para despertar a chama da poesia...
    Sempre bem, Teresa

    Abraço :)

    ResponderEliminar
  9. Sempre de passagem pelos instantes da vida e como
    é bom aprender com a vida; a importância da emoção
    sublime que baila no coração...

    Luminosos: o poema e a tua foto!
    Beijinhos, querida.

    ResponderEliminar