domingo, 10 de dezembro de 2017

Natal 2017


Arde o madeiro perto da igreja
Sinos repicam e rasgam os céus
E em toda a bondade que em nós se almeja
Há um verdadeiro encontro com Deus

Sem roupa, sem abrigo e sem comida
Falham desígnios do criador
É por isso que se espera outra vida
Nosso mundo reclama o salvador

E com as cantigas de antigamente
Fica mais forte esta dor, mais pungente
Mais distante e amargo o bem-querer

E por cada sofrimento inocente
A humanidade chora descrente
O deus menino está AINDA por nascer

Teresa Almeida Subtil






6 comentários:

  1. Querida Teresa,

    Um belo poema reflexivo!
    Esta humanidade caminha tanto na contra mão
    de uma irmandade, a solidariedade é artigo de
    luxo e parece que no Natal se apresenta no
    cardápio da etiqueta como uma boa sociedade
    cristã, mesmo que os restos dos dias do ano
    fiquem na escassez de qualquer gesto de
    doação.
    Este vídeo-música é encantador e sublime (esta
    menina-anjo da música me emocionou demais...)
    Muito grata por este momento aqui, minha querida.
    Meus votos de um domingo feliz e na paz e
    na extensão de votos de um Natal Abençoado
    para ti junto com a tua família!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. "E com as cantigas de antigamente
    Fica mais forte esta dor, mais pungente
    Mais distante e amargo o bem-querer"

    Verdade, Teresa, li teu belo poema escutando essa menina maravilhosa, e a música emociona, a data emociona, todos são solidários, amor transbordando nos corações - mas noutras épocas insensíveis. É uma data mágica, mas não retrata a verdade do nosso cotidiano.

    Muito oportuno pela sua verdade. Amei.
    Beijo!

    ResponderEliminar
  3. "O deus menino está AINDA por nascer..."

    um "AINDA" que faz toda a diferença - abre a Esperança que um dia nasça! Amén!

    gosto muito das tradições do Natal - esse madeiro a arder na praça é muito reconfortante...

    beijo, Teresa

    ResponderEliminar
  4. Sim, Teresa, precisamos que o nosso presépio vazio tenha o Menino outra vez.
    Gostei imenso do poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. Olá, Teresa!
    Este teu belo soneto certamente dará conforto a quem estiver solitário nestas Festas de Natal. Para quem estiver junto a familiares e amigos nessas festas o soneto será lido com alegria.
    Uma ótima semana, minha amiga.
    Um beijo.
    Pedro

    ResponderEliminar
  6. Deveria nascer todos os dias...
    Magnífico soneto de Natal, parabéns.
    Continuação de boa semana, amiga Teresa.
    Beijo.

    ResponderEliminar

Do Éden oriundo